A cidade de São Paulo detectou o primeiro caso da variante Delta do coronavírus. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde divulgadas nesta segunda-feira (5), o caso é de um homem de 45 anos que está sendo monitorado por equipes de saúde.

Não é possível saber se o paciente contraiu a doença localmente ou em viagem. Em nota, a Prefeitura informou que o rastreamento foi feito pelo Instituto Butantan. “Desde abril, em parceria com o governo do Estado, a capital encaminha parte das amostras de exames RT-PCR positivos ao Instituto Butantan para análise genômica em busca de identificar as cepas circulantes neste momento no município de São Paulo. Foi por meio desta iniciativa que foi possível identificar o primeiro caso positivo na cidade”, explicou.

Acredita-se que a variante Delta, inicialmente identificada na Índia, se dissemina mais rapidamente, sendo fonte de preocupação para especialistas. Isso porque, se a cepa se tornar dominante, acredita-se que ela pode sobrecarregar o sistema de saúde ou ainda comprometer a imunização da população, o que não foi confirmado, já que algumas vacinas se mostraram resistentes à variante.

Até agora, foram registrados 14 casos da Delta no País: seis no Maranhão, três no Rio de Janeiro, um em Goiás, um em Minas Gerais, dois no Paraná e um em São Paulo. Além disso, duas pessoas já morreram em decorrência da infecção causada por ela, sendo um tripulante de um navio, no Maranhão, e uma gestante de 42 anos, no Paraná.

Assine a newsletter do Gizmodo

Já contamos aqui que a Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, afirmou que sua vacina de dose única é eficaz contra a Delta. Segundo a empresa, as amostras de sangue de oito pessoas foram analisadas para comprovar essa eficácia. “Acreditamos que nossa vacina oferece proteção durável contra Covid-19 e induz atividade neutralizante contra a variante Delta. Isso se soma ao robusto corpo de dados clínicos que suportam a capacidade de nossa vacina de injeção única de proteger contra múltiplas variantes preocupantes”, comentou Paul Stoffels, vice-presidente do comitê executivo e diretor científico da Janssen.

[UOL]