Se você tem um animal de estimação, provavelmente já se perguntou alguma vez o que ele estaria pensando. Embora ainda não haja uma tecnologia capaz de ler a mente dos bichinhos, um novo estudo sugere que é possível usar inteligência artificial para saber como eles estão se sentindo.

O artigo, escrito por um pesquisador da Wageningen University & Research e publicado como pré-impressão, descreve como um sistema de reconhecimento facial é capaz de determinar o estado emocional de animais de fazenda.

Para treinar o sistema, foram coletadas imagens de animais em seis fazendas a fim de fornecer a base de dados de características faciais e permitir que a ferramenta opere com 85% de precisão, de acordo com o artigo. Assim, o software é capaz de detectar 13 ações faciais e 9 estados emocionais, incluindo se o animal está “agressivo, calmo ou neutro”.

Amostra de imagens da base de dados. Imagem: Neethirajan, S./bioRxiv

O problema é que ainda há poucas evidências de que esses sistemas de reconhecimento de emoções funcionem de fato. Afinal, as emoções são algo subjetivo e que dependem muito da forma como cada pessoa (ou animal, no caso) se expressa e como isso pode ser interpretado de maneira diferente por cada um.

Apesar de a IA não poder identificar exatamente como um animal se sente, ela ainda é capaz de reconhecer sinais de estresse, desconforto ou dor. A vantagem disso, conforme aponta o artigo, é que os fazendeiros podem monitorar os animais em tempo real apenas com câmeras em vez de utilizar métodos mais invasivos, como a coleta de amostras de hormônios.

Assine a newsletter do Gizmodo

Por outro lado, o motivo por trás dessa preocupação com o bem-estar dos animais é puramente comercial, já que um gado “feliz” gera produtos melhores. Assim, sistemas como esse podem ajudar fazendeiros a acompanhar os níveis de estresse dos animais e intervir quando necessário.

[The Next Web]