Se você tem um cachorro, com certeza fala com ele mesmo sabendo que ele não vai te responder. Muita gente, inclusive, já se viu questionando se um dia o seu bichinho vai responder ou se, na verdade, ele sempre soube falar e está só conspirando contra você. Apesar de ainda não termos nenhuma comprovação científica sobre uma habilidade como essa dos animais, sabemos que eles são capazes de aprender palavras e associá-las a determinados objetos.

Prova disso é quando você evita falar certas palavras, como “passear”, para que o seu cãozinho não surte de emoção. Um estudo recente, publicado na Nature, mostra que alguns cachorros talentosos são capazes de aprender palavras após ouvi-las apenas quatro vezes — isso é algo impressionante, visto que acreditava-se que apenas os humanos tinham essa habilidade.

Se você já está ansioso para saber se o seu animal de estimação faz parte desse grupo de gênios de quatro patas, os métodos utilizados pela pesquisa são bem simples e você mesmo pode testar em casa com o seu cachorro. Basta reproduzir o teste dos pesquisadores em casa.

Um dos primeiros experimentos envolveu um collie, chamado Whisky, e uma yorkshire terrier, chamada Vicky Nina. Whisky sabia o nome de 59 objetos, enquanto Vicky Nina conhecia 42.

Para começar, os pesquisadores pediram para eles trazerem um brinquedo de cada vez apenas falando o nome do objeto. Para garantir que a escolha dos animais não fosse influenciada pelos humanos presentes, nem os donos e nem os pesquisadores conseguiam ver os objetos.

A segunda etapa acrescentou mais um nível de dificuldade: dois novos brinquedos foram apresentados a eles e colocados entre os objetos já familiares. O primeiro teste foi repetido, mas dessa vez foram solicitados também os novos brinquedos em ordem aleatória. Whisky conseguiu acertar todas as vezes, enquanto Nina escolheu o novo brinquedo de forma correta em 52,5% das vezes.

Mas como saber que eles não estavam escolhendo os novos brinquedos apenas por exclusão, já que eles sabiam os nomes dos outros objetos? Para checar se Whisky e Nina estavam de fato aprendendo as palavras, os pesquisadores realizaram mais um experimento.

Dessa vez, os cientistas mostraram um brinquedo, falaram o nome dele e deixaram o cachorro brincar com ele. Após repetir o nome de dois novos brinquedos quatro vezes, foi solicitado novamente que o animal trouxesse um deles. No caso, Whisky e Nina deviam escolher apenas entre as duas novas opções, sem nenhum objeto familiar por perto.

De acordo com o estudo, ambos acertaram os brinquedos mais vezes do que o previsto, o que indica que eles estavam realmente aprendendo as palavras rapidamente. Por outro lado, essa memória parece ter sido reduzida após 10 minutos e quase completamente esquecida após uma hora. Ou seja, para que o animal aprenda, de fato, são necessários constantes exercícios de repetição.

Os testes também foram conduzidos por outros 20 voluntários com cachorros, mas eles não demonstraram a habilidade de aprender palavras depois de ouvi-las algumas vezes. Diante disso, os pesquisadores defendem que essa capacidade depende de uma inteligência excepcional dos animais ou muita experiência em aprender nomes.

No caso da inteligência, a explicação pode ser um pouco mais complexa do que parece. Afinal, o fato de um cão aprender mais rápido que outro não significa necessariamente que seu cérebro é “melhor”, mas que, talvez, ele apenas tenha um interesse maior em certas atividades.

Analisando as diferentes raças, por exemplo, é muito comum que estudos que avaliam a capacidade de aprendizado dos cães utilizem border collies. Isso porque eles são condicionados a atender a comandos auditivos, além de serem altamente motivados a realizar tarefas e agradar o dono.

Conforme apontado pelo The Conversation, um estudo de 2004 com um border collie mostrou que ele sabia o nome de 200 objetos diferentes, enquanto outro de 2011, também realizado com a mesma raça, revelou que o animal aprendeu 1.022 palavras.

Os yorkshires também são uma escolha popular pelo fato de apreciarem estímulos mentais e físicos. Porém, outras raças como o saluki e greyhound, que são cães de caça, podem demonstrar quase nenhum interesse em brinquedos ou em agradar seus donos.

Ou seja, a capacidade de um cachorro aprender novas palavras vai depender da raça, sua motivação e dos treinamentos a que ele é submetido pelos donos. Você pode passar horas tentando ensinar um nome ao seu cãozinho, mas se ele não estiver a fim, é bem capaz do seu esforço ser em vão.

[The Conversation]