Ciência

Solstício de verão acontece na próxima sexta (22); veja o que esperar

Durante o solstício de verão, o hemisfério em questão recebe a maior quantidade de luz solar direta, resultando no dia mais longo do ano
Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O solstício de verão, que acontece na próxima sexta-feira (22), é um evento astronômico que marca o início da estação. Ele ocorre quando o Sol atinge sua posição mais ao norte em relação à linha do equador, marcando o início oficial da temporada.

Durante o solstício de verão, o hemisfério em questão recebe a maior quantidade de luz solar direta, resultando no dia mais longo do ano e na noite mais curta. No hemisfério norte, o solstício de verão ocorre por volta de 21 de junho, enquanto no hemisfério sul, acontece por volta de 22 de dezembro. Contudo, essas datas podem variar ligeiramente de um ano para outro devido à inclinação da Terra em seu eixo.

Qual origem do nome

O termo “solstício” vem do latim e significa “sol parado”. A palavra se originou a partir da observação da trajetória do Sol no céu por astrônomos antigos. Isso porque eles notaram que o local em que o sol se encontrava no céu ao meio-dia mudava diariamente.

Essa localização ia ficando cada vez mais alta no céu até que alcançava um ponto máximo e “parava”. Depois, ia ficando cada vez mais baixa e também “parava” para, então, tornar a subir. As “paradas” correspondem, respectivamente, aos solstícios de verão e de inverno.

O que esperar do próximo verão?

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a tendência climática para os meses de dezembro de 2023 a fevereiro de 2024 inclui chuvas acima da média em toda a faixa central do Brasil, além de temperaturas elevadas em todo o país.

Já as chuvas nessas regiões passarão a ser mais regulares a partir de dezembro, ainda segundo o instituto. Em alguns deles, os volumes das precipitações poderão superar os 500 mm. Entre os estados onde são previstas chuvas acima da média, estão: Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Além disso, neste final de 2023, as anomalias de temperatura da superfície do mar no Oceano Pacífico Equatorial indicam um El Niño de muito forte intensidade, como não se via desde de 2015-2016. A boa notícia é que a expectativa é de que o El Niño atinja seu máximo de intensidade agora no fim do ano. Depois disso, deve iniciar uma tendência de enfraquecimento a partir de janeiro ou fevereiro.

Assine a newsletter do Giz Brasil

Gabriel Andrade

Gabriel Andrade

Jornalista que cobre ciência, economia e tudo mais. Já passou por veículos como Poder360, Carta Capital e Yahoo.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas