Há problemas, eles não são exclusivos do iPhone 4, mas de todos os smartphones. Você tem de evitar segurar neste ponto. Estamos fazendo o melhor para atacar o problema, que não incomoda todo mundo. Mas, se você não gosta do iPhone 4, não o compre. Comprou e não gostou? Devolvemos o dinheiro. E, acreditem, as 3 milhões de pessoas que já compraram estão com altos índices de satisfação. De todo modo, vamos dar os cases de graça para quem quiser.

Este foi o recado condensado de Steve Jobs na conferência de emergência pra apagar incêndios que acabou agora há pouco. Ele se saiu muito bem de uma crise que ganhou proporções assustadoras porque, bem, era a Apple. E eles solucionaram exatamente da maneira que pedimos.

A conferência começou com este vídeo do Youtube:

Em seguida Jobs mostrou vídeos de vários outros smartphones que apresentavam um problema semelhante: Blackberry, HTC, Samsung… Se você segurá-lo de determinada forma, as barrinhas de sinal caem. Jobs disse que este é um desafio da indústria, que a Apple está tentando melhorar. Como falamos antes, celulares da Nokia tiveram o mesmo problema. Mas a verdade que não são todos, todos – ou ao menos ele acontece só em algumas áreas. Tentei reproduzir o problema com meu Milestone por bastante tempo, assim como um jornalista confrontou Jobs na coletiva tentando fazer o mesmo no Blackberry dele, e o sinal continuava forte mesmo segurando toda a carcaça. 

Steve Jobs falou várias vezes que o problema foi superestimado. Até agora, o índice de reclamação do problema de recepção é de 0,55%, o que é muito baixo e desproporcional em relação ao barulho da mídia, acredita Jobs. O índice de devolução até agora? 1,7% na AT&T. O do iPhone 3GS, que até então era o benchmark da indústria, era de 6%. Ainda assim, quem quiser ir a uma loja da Apple (não temos isso no Brasil) por pedir todo o dinheiro de volta, sem ter de explicar qualquer coisa.

"Então nós fazemos tudo isso porque amamos nossos clientes. E quando não damos conta – o que acontece, algumas vezes – nós tentamos com mais empenho. Paramos, nos recompomos, descobrimos o que está errado, e nos empenhamos mais. E quando nós alcançamos o sucesso, os clientes nos dão em retorno . E fazem tudo valer a pena."

 

Steve Jobs e os outros executivos da empresa mostraram que usam o iPhone 4 sem o case protetor. O CEO da Apple disse que tem uma recepção melhor na sua casa do que antes – vários outros usuários descrevem o mesmo – mas "sente profundamente" pelos donos de iPhone que tiveram o problema.

Na minha avaliação, a Apple saiu-se razoavelmente bem do tal "Antennagate", na medida do possível, na verdade. Já está claro que a questão da antena do iPhone 4 é um problema de design, como adiantamos. A solução básica é bem simples: "não gostou? Devolva, damos o dinheiro de volta". "Quer continuar, mesmo tendo problemas? Daremos os protetores". Ninguém é obrigado a comprar o iPhone, e todo mundo que comprou pode devolvê-lo se tiver problemas. Simples assim. A nossa briga era da dificuldade que a Apple tinha em admitir que sim, existia um problema.

É claro que ele poderia ser mais humilde, admitir uma falha de design de maneira mais clara, e é claro que os números apresentados (só 0,55% de pessoas reclamando do problema) pode ser inventado. E não ficou legal atacar todo mundo, dizendo que todo smartphone tem esse problema (não é verdade). Mas, no geral, a Apple conseguiu contornar o problema (que não tem solução ideal) de maneira razoável. Só vamos saber a real dimensão dele dentro dos próximos meses.