Há quase cinco anos, falamos sobre o Telescópio de Trinta Metros, um megatelescópio com resolução dez vezes maior do que o Hubble. Agora, parece que o projeto, muitas vezes adiado, enfim vai virar realidade: o Havaí concordou em arrendar terreno para o telescópio, e as autoridades dizem que a construção deve começar em abril.

O Telescópio de Trinta Metros remonta à década de 90, quando a ideia foi abordada pela primeira vez por um grupo de cientistas da Califórnia (EUA). Nos anos seguintes, vieram os detalhes de um plano real: um espelho com 30 metros de diâmetro, composto por 492 fragmentos, abrigado em um observatório no topo do vulcão adormecido Mauna Kea. O telescópio faria de tudo, detectando a luz das primeiras estrelas e até buscando evidências da matéria escura.

Thirty Meter Telescope (2)Outros telescópios em Manua Kea. Imagem: Wikipédia.

Por que ele está demorando tanto? Em primeiro lugar, falta dinheiro: até então, foram gastos US$ 120 milhões no design do telescópio, feito pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), Universidade da Califórnia e Associação de Universidades Canadenses para a Pesquisa em Astronomia. E o financiamento total que eles reuniram até agora, necessário para terminar a construção, ainda não é o suficiente – o custo total é estimado em US$ 970 milhões. Eles planejam começar as obras de um jeito ou de outro.

E além disso, o telescópio foi barrado nos tribunais. Como ele estará localizado em uma área de conservação ambiental, grupos locais se uniram contra o projeto, dizendo que ela prejudica o habitat natural do wēkiu, espécie rara de inseto encontrada no Havaí. Até o contrato de arrendamento ficou preso no tribunal: o Supremo Tribunal havaiano acredita que o Conselho de Terras do estado cometeu um erro ao aprová-lo no ano passado.

Thirty Meter Telescope (3)

Mas, ao final de fevereiro, a Universidade do Havaí votou 15 a um para aprovar a concessão do telescópio, que custará US$ 1 milhão por ano nas próximas três décadas. O projeto também lançou diversas novas renderizações produzidas por Dana Berry, que acrescentou novos detalhes ao telescópio de 14 andares – como vias de acesso, e um material reflexivo que ajudará a regular a temperatura interna do dispositivo.

Tudo isso parece indicar que o telescópio está pronto para se tornar realidade, mesmo que lhe falte um orçamento completo. Isto não é incomum: projetos de longo prazo como este às vezes começam sem garantirem o financiamento total. Mas, dados os atrasos que assolaram o projeto por uma década, o telescópio pode não estar pronto até 2021 – prazo atual para sua conclusão.

Bem, nós esperamos muitos milênios para perscrutar as regiões periféricas da galáxia – o que são mais alguns anos? [TMT via DesignBoom]