Os planos Infinity, da TIM, são uma faca de dois gumes. Por um lado atraem legiões de novos clientes interessados em serviços a preços baixíssimos. Por outro, o aumento na demanda deteriora a qualidade da rede — e daí vêm quedas nas ligações, conexão lenta, mensagens SMS que demoram a chegar… O que seria a próxima investida da operadora foi suspensa pela Anatel.

O Infinity Day é um plano agressivo que a TIM queria implantar, em caráter experimental, em 19 cidades. Este plano, inicialmente com validade entre 11 de novembro a 15 de janeiro, funcionaria de forma similar às ofertas de Internet e SMS para clientes pré-pago: em vez de pagar por chamada, o cliente pagaria R$ 0,50 na primeira que fizesse no dia e, depois, poderia ligar para outros números da TIM livremente, sem pagar nada mais.

A Anatel interveio e, por meio do Diário Oficial da União, suspendeu a ação da TIM por temer:

“(…) potencial instabilidade na rede de suporte ao SMP (Serviço Móvel Pessoal), bem como o prejuízo à qualidade da prestação do serviço aos usuários em geral da TIM Celular, em razão da promoção ‘Infinity Day'”

Representantes da TIM devem ser reunir ainda hoje, em Brasília, com José Rezende, presidente da Anatel, para rediscutir a questão. Em sua defesa, a operadora declarou que as cidades escolhidas para o Infinity Day, nome do plano barrado pela Anatel, têm “oportunidades de crescimento e infraestrutura com grande capacidade”, que um plano similar já foi testado sem problemas no Rio Grande do Sul e que o aviso sobre a promoção foi feito dois dias antes de ela entrar em vigor através de grandes veículos de comunicação. A Anatel também se queixa de não ter sido avisada de nada; embora não haja regulamentação que exija a comunicação de promoções, desde que as operadoras voltaram a comercializar novas linhas após o bloqueio nacional e as acusações de que a operadora derrubava chamadas do plano Infinity Pré, espera-se que elas mantenham a agência informada sobre os próximos passos para evitar mais transtornos.

Nessa brincadeira, 12 milhões de clientes que fariam uso do Inifity Day ficaram sem a promoção — ao menos temporariamente. É difícil encontrar um equilíbrio entre preço e qualidade. A TIM garantiu ter feito estudos de viabilidade técnica e mercadológica para essa nova investida, mas agora depende da Anatel para que ele vingue. [G1, O Globo. Foto: Duncan Hull/Flickr]