Além da rápida disseminação, um dos fatores que tem gerado muito medo entre as pessoas em relação ao novo coronavírus (COVID-19) é o fato de que ainda se sabe pouco sobre ele. Enquanto os órgãos de saúde recomendam práticas de higiene básica, como lavar as mãos, ainda há muitas dúvidas sobre as medidas de prevenção. Felizmente, muitos pesquisadores estão se dedicando a estudar melhor o comportamento do vírus e uma pesquisa recente mostra que o SARS-CoV-2  pode sobreviver em materiais de plástico de 2 a 3 dias, por exemplo.

A ideia de lavar as mãos não é apenas para o caso de você cumprimentar alguém, mas principalmente porque estamos constantemente em contato com superfícies que podem estar contaminadas. Isso significa então que você deve correr pela casa desinfetando cada cômodo de minuto a minuto? Afinal, quanto tempo o coronavírus pode sobreviver no ar e em superfícies?

O site da OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde) Brasil, escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), diz o seguinte:

Não se sabe ao certo quanto tempo o vírus que causa o COVID-19 sobrevive em superfícies, mas ele parece se comportar como outros coronavírus. Uma série de estudos aponta que os coronavírus (incluindo informações preliminares sobre o vírus COVID-19) podem persistir nas superfícies por algumas horas ou até vários dias. Isso pode variar conforme diferentes condições (por exemplo, tipo de superfície, temperatura ou umidade do ambiente).

Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a com um desinfetante simples para matar o vírus e proteger a si e aos outros. Limpe as mãos com um higienizador à base de álcool ou lave-as com água e sabão. Evite tocar nos olhos, boca ou nariz.

Para responder melhor essa questão, o National Institutes of Health (NIH), uma agência do governo dos EUA, realizou uma pesquisa sobre o tempo que o vírus pode permanecer em diferentes tipos de superfícies.

Em resumo, os resultados mostraram que o novo coronavírus sobrevive até 4 horas em superfícies de cobre; até 24 horas em papelão; e de 2 a 3 dias em plástico e aço inoxidável. Já em relação ao ar, o estudo mostrou que o vírus permanece por até 3 horas após ser expelido por tosse, espirro ou exalado por uma pessoa infectada. No entanto, os autores ressaltaram que ainda não está claro se a doença pode ser transmitida de pessoa para pessoa pelo ar.

Outra conclusão apontada pelos autores é que, após uma comparação entre o SARS-CoV-2 (vírus que causa o atual coronavírus) e o SARS-CoV-1 (responsável pelo surto de SARS em 2003), observou-se que ambos tendem a sobreviver em superfícies pelo mesmo intervalo de tempo. Ou seja, a disseminação mais acentuada do atual SARS-CoV-2 provavelmente não está relacionada a uma capacidade de ele sobreviver em superfícies por mais tempo.

Em meio à atual pandemia, a Apple e outras fabricantes de aparelhos eletrônicos já informaram que é possível (e necessário), sim, desinfetar os produtos sem danificar o dispositivo.

[Gizmodo Espanha]