A afirmação da Intel se sustenta pela utilização de cabos de fibra ótica para Thunderbolt, que poderá transferir dados como raios de luz, em vez do formato de eletrons que os cabos de cobre usam atualmente na tecnologia. É pura ciência, amigos: fótons se movem mais rapidamente. E a notícia ainda melhor é que o novo sistema de fótons será compatível com as portas Thunderbolt existentes, segundo informações do MacWorld, enviando dados com maior distância (cabos mais longos!) e com maior velocidade (700MB/s!).

A visão da Intel no mundo ótico faz sentido se levarmos em consideração o que há no horizonte: fotônicos de silício, que é apenas uma forma bonida de dizer que a informação em um chip será convertida em luz, e convertida novamente após o passeio. É algo que a Intel vem trabalhando há um bom tempo, e tem o potencial de transferir um filme em HD em literalmente um segundo. Então faz sentido começar a pensar nos próximos passos, mesmo com alguns anos de adiantamento — o que gerará coisas bem caras no início. Talvez quando essa hora chegar, os cabos para Thunderbolt custem menos do que malditos US$50.