O TikTok é uma das principais redes sociais do planeta, segue crescendo exponencialmente e ameaça a hegemonia de outras redes que dominam a internet. Embora o sucesso seja indiscutível, a plataforma ligou o sinal de alerta e está atualizando suas políticas de recomendação de conteúdo para evitar que brincadeiras e desafios perigosos se tornem virais.

As atualizações acontecem após algumas “pegadinhas” que consistiam em ameaças de ataques a tiros em escolas nos Estados Unidos. As ameaças mobilizaram as autoridades americanas e também preocupou alunos que ficaram com receio de se deslocar até as escolas. A pegadinha foi vista principalmente no TikTok, mas há registros também de que ela aconteceu no Facebook e Instagram.

Outro desafio que viralizou em 2021 foi o “Devious Licks”, que acabou em denúncias de vandalismo em diversas escolas. O desafio consistia na quebra de espelhos, roubou de alarmes de incêndio e no entupimento de banheiros intencionalmente ao som de “Ski Ski BasedGod” do rapper americano Lil’ B. Na época, o TikTok se esforçou para tirar todos os vídeos do ar e também redirecionar a hashtag para outros conteúdos.

A plataforma diz que está estudando junto a especialistas e autoridades identificar conteúdos perigosos para impedir que eles se espalhem e tenham grande alcance. Mas alguns usuários sempre encontram maneiras de burlar as medidas adotadas pelo TikTok. Uma das práticas mais comuns é a criação de hashtags diferentes para um assunto que está sendo derrubado na plataforma.

E quanto mais a rede cresce, mais difícil fica a identificação de conteúdos nocivos na plataforma.

O TikTok afirmou ter removido 91 milhões de vídeos com conteúdo prejudicial no terceiro trimestre de 2021. Aproximadamente 85% dos conteúdos foram removidos antes de receberem qualquer visualização e a plataforma busca melhorar ainda mais suas ferramentas de conteúdo nocivo.