A NASA forneceu mais detalhes sobre seus novos trajes espaciais, que devem ser usados na próxima viagem à Lua. De bate pronto, já é possível dizer que ela tem um visual parecido com a que Neil Armstrong utilizou durante sua caminhada em nosso satélite natural, porém muito mais confortável.

Isso porque os trajes serão personalizados via 3D com base em digitalizações feitas do corpo todo, apesar de ainda contarem com o icônico design das roupas espaciais da Apollo 11 na missão Artemis. Ainda em desenvolvimento, a xEMU, a Unidade de Mobilidade de Exploração Extraveicular, já passou por alguns testes debaixo d’água, com o teste orbital provavelmente começando em 2023.

Basicamente, cada traje age como uma “nave espacial personalizada que imita todas as proteções do ambiente hostil do espaço e dos recursos básicos que a Terra e sua atmosfera fornecem”, como escreveu a NASA em um post nesta semana.

Embora dar um passeio na Terra deverá ser mais fácil, os rolamentos e os itens aprimorados das roupas do xEMU permitem uma maior amplitude de movimento para que os astronautas não se limitem aos “pulos à la coelho” na superfície da Lua, como os feitos pela equipe da missão Apollo 11. Eles também poderão alcançar objetos sobre o tronco, agachar-se e levar objetos sobre a cabeça com relativa facilidade, oferecendo uma flexibilidade que os modelos antigos e rígidos não possuíam. E uma nova escotilha de entrada traseira deve facilitar a tarefa de vestir e tirar o traje.

Os trajes também poderão ser usados em uma ampla gama de missões, graças às suas partes intercambiáveis e atualizáveis. Portanto, o mesmo processo, ou pelo menos seu “sistema central”, poderia ser usado na Estação Espacial Internacional, na Lua e talvez até em Marte. Por enquanto, só espero que essa capacidade de personalização adicional evite outro problema de guarda-roupa, como o que impediu a primeira caminhada espacial feminina da NASA no início deste ano — ia rolar a primeira missão fora da Estação Espacial Internacional feita apenas por mulheres, mas a falta de trajes personalizados impediu o feito. Perguntamos à NASA sobre isso e atualizaremos o post, caso a agência responda.

Dentro do traje, a NASA usará os fones de ouvido notoriamente desconfortáveis que os astronautas aparentemente os ridicularizam como bonés do Snoopy. Agora, um sistema de áudio aprimorado usa microfones ativados por voz alojados em todo o tronco do traje. O próprio capacete agora também possui uma camada protetora em seu visor, que basicamente funciona como o plástico de um telefone novo, protegendo o dispositivo da sujeira e dos detritos com um escudo superficial mais fácil de substituir do que um capacete inteiro.

Com todo este progresso, no entanto, a NASA ainda está dando fraldas espaciais aos astronautas. Ou, no linguajar bonito, “uma roupa parecida com uma fralda para absorção máxima” para as ocasiões que caminhadas espaciais forem muito longas.

A NASA diz que seu objetivo é fazer com que os astronautas e seus respectivos traseiros andem na Lua nesses novos trajes xEMU até 2024.