Twitter passará a marcar tuítes com conteúdos duvidosos sobre COVID-19

O Twitter irá adicionar um aviso em tuítes que espalharem informações falsas ou enganosas sobre o novo coronavírus.

Logo do Twitter

Crédito: AP

O Twitter irá adicionar um aviso em tuítes que espalharem informações falsas ou enganosas sobre o novo coronavírus. De acordo com a rede social, a ideia é adicionar contexto e esclarecimentos em situações em que “os riscos de danos associados a um tuíte sejam menos graves, mas que as pessoas ainda possam ser confundidas ou enganadas pelo conteúdo”.

Dependendo do tipo de informação enganosa, a rede social irá mostrar um aviso de que aquele conteúdo entra em conflito com as recomendações de especialistas em saúde pública antes que o usuário visualize a mensagem – haverá um botão para mostrar o conteúdo. O “selo” será exibido mesmo para tuítes mais antigos e para qualquer usuário que o tenha publicado.

Em alguns casos, conteúdo será ocultado e haverá um aviso. Os usuários ainda podem escolher ver a mensagem. Imagem: Twitter

O Twitter esclarece que o aviso poderá aparecer em três categorias de mensagens:

Haverá ainda um link com uma página de curadoria do Twitter ou uma fonte externa confiável que dê mais informações sobre aquele tema.

Link para obter mais informações sobre COVID-19 será exibido se o conteúdo tiver alegações contestadas. Imagem: Twitter

A identificação desse conteúdo será feita parcialmente por algoritmos, com os chamados “sistemas internos” e por parceiros. O Twitter diz que a prioridade é conter os conteúdos que possam aumentar a exposição ou transmissão ao vírus.

Com a pandemia de COVID-19, o Twitter passou a fazer uma moderação específica para conteúdos enganosos que fossem de encontro com as recomendações da OMS – até mensagens enganosas de presidentes foram apagadas.

Segundo a Reuters, o chefe de integridade do Twitter, Yoel Roth, disse em uma chamada com repórteres que continuaria priorizando a remoção de tuítes que incentivassem ações que pudessem causar danos, como dizer às pessoas para pararem de se distanciar socialmente. Entre as desinformações espalhadas não somente no Twitter, mas também no Facebook e YouTube, estão teorias conspiratórias que ligam o coronavírus às redes 5G e até mesmo a participação de Bill Gates.

[Twitter]

Sair da versão mobile