O Twitter anunciou nesta quarta-feira que não vai atender o pedido do governo indiano de bloquear as contas de jornalistas que cobriram os protestos de Nova Delhi em janeiro. Em um comunicado, a empresa informou que a recusa em atender o pedido do governo se deve ao entendimento de que o bloqueio infringiria direitos dos jornalistas sob a própria lei indiana.

O enfrentamento do governo aos jornalistas começou no final de janeiro, quando a polícia indiana matou com um tiro o fazendeiro Navreet Singh durante protestos da categoria. A polícia indiana nega a participação no crime, e o governo processou pelo menos nove jornalistas, e prendeu um.

Os protestos dos fazendeiros eram contra novas leis que disciplinam a atividade no país. Testemunhas e o exame do corpo indicam que Singh foi morto pela polícia, que alega que ele caiu de seu trator. Os nove jornalistas, alguns dos quais apenas tweetaram sobre o caso, foram processados em cinco estados diferentes.