A notícia de que o Twitter faria alterações em sua timeline, exibindo alguns tuítes em destaque, fez com que usuários ficassem furiosos com a possibilidade. Jack Dorsey, CEO do Twitter, desmentiu a mudança no mesmo dia, no entanto, o anúncio pareceu bem ambíguo. No fim das contas, a realidade é outra: o Twitter começou a liberar hoje a possibilidade de personalizar a timeline para exibir os “melhores tuítes”.

Funcionará da seguinte forma, segundo um blog post do Twitter:



Após ativar a opção em ferramentas, quando você abrir o Twitter após estar ausente por um tempo, tuítes que você provavelmente consideram importantes aparecerão no topo de sua linha do tempo […]. Os outros tuítes serão exibidos logo abaixo, como sempre ocorreu. A qualquer momento, para ver novos tuítes, basta atualizar a página [arrastando para baixo, no caso dos aplicativos] que eles aparecerão.

Que fique claro, o recurso não é compulsório e é baseado no mesmo algoritmo da funcionalidade “enquanto você estava ausente”, que exibe tuítes destacados baseados em pessoas seguidas na rede. A funcionalidade “mostre-me primeiro os melhores tuítes” estará disponível na versão web e nos aplicativos para Android e iOS. Apenas quem for ao menu configurações e ativar o recurso terá essa mudança na timeline.

De acordo com a revista Slate, a nova funcionalidade obedecerá a três critérios: contas e tuítes que você interagiu no passado, assuntos de seu interesse e a atividade de pessoas parecidas com você.

Apesar do anúncio, o recurso está em teste há um tempo e representa uma tentativa do Twitter de fazer os usuários se engajarem em conversas ocorridas na rede social enquanto estavam ausentes.

A situação do Twitter não está entre as melhores. A empresa não está ganhando muito dinheiro e não tem apresentado um sólido crescimento — estes dois fatos, inclusive, têm influenciado bastante o preço da ações da companhia. Ainda hoje, a empresa deve divulgar seus resultados financeiros, o que deve dar uma ideia melhor da situação do Twitter. Arrisco a dizer que devem vir mais mudanças por aí.

[The Verge, Slate e Gizmodo US]

Imagem do topo: Aaron Durand/Twitter