As coisas não estão indo muito bem para a Uber, que está perdendo bilhões de dólares por ano sem nenhuma frota de táxis autônomos à vista capaz de parar esse prejuízo. Agora, a festa acabou mesmo: de acordo com um relato do Crunchbase News, a Uber decidiu parar de gastar centenas de milhares de dólares em balões comemorativos anualmente.

Segundo o Crunchbase, em um email para todos os funcionários na semana passada, o diretor financeiro Nelson Chai disse que a empresa vai parar de comprar balões de hélio para comemorar o “Uberversary” da equipe (aparentemente, o que os funcionários do Uber chamam de aniversário de tempo de empresa).

Chai escreveu que mudar para adesivos levaria a empresa a economizar mais de US$ 200 mil por ano apenas nos escritórios de San Francisco e é “uma ótima maneira de arranjar dólares que podemos investir de volta nos negócios”, pedindo aos funcionários que contribuíssem com mais ideias para diminuir custos:

“Não é apenas uma ótima maneira de arranjar dólares que podemos investir de volta nos negócios, mas também contribui para o meio-ambiente”, disse a mensagem de Chai. O Crunchbase News recebeu o e-mail de um destinatário sob condição de anonimato. A Uber não respondeu aos pedidos de comentários antes da publicação.

Essa medida de redução de custos faz parte de uma campanha em toda a empresa, completa com sua própria hashtag interna: #FindTheMoney. Executivos da Uber estão solicitando ideias de seus funcionários para encontrar maneiras de reduzir a taxa de prejuízos da empresa. Em sua mensagem de e-mail, Chai credita a ideia a um funcionário e implora aos outros que “por favor, continuem com as ideias”.

Isso mesmo: US$ 200.000 em balões. Isso é um dois, seguido por cinco zeros, com um sinal de dólar na frente dele.

US$ 200 mil.

Em.

Balões.

Como o Crunchbase observou, com esse dinheiro, a Uber poderia pagar aproximadamente mais um engenheiro em tempo integral em São Francisco, se não tivesse parado abruptamente de contratar novos engenheiros e outros profissionais técnicos até o fim do ano. A Uber retratou o congelamento de contratações como uma questão de a empresa simplesmente atingir suas cotas para o ano, embora tenha demitido 400 pessoas de sua equipe de marketing que antes era composta de 1.200 profissionais no mês passado, o que os funcionários descreveram ao Business Insider como um “banho de sangue”.

Ainda segundo o Crunchbase, uma fonte que participou de uma recente reunião geral na Uber disse que o CEO Dara Khosrowshahi, quando questionado, não confirmou nem negou que as demissões no departamento de engenharia possam começar em breve. Em vez disso, ele afirmou que a Uber tem que se tornar uma organização “mais eficiente”.

US$ 200 mil em balões.

A Uber registrou um surpreendente prejuízo de US$ 5,2 bilhões no último trimestre, o que poderia comprar cerca de 26 mil balões para o escritório de San Francisco. A maior parte foi de custos únicos relativos à sua oferta pública inicial no começo deste ano, mas US$ 1,3 bilhão foram custos operacionais regulares. Com cerca de US$ 13,7 bilhões no banco, a Uber pode continuar com as taxas de prejuízo atuais por mais de dois anos, embora há grandes chances de eles terem que começar a estourar mais do que balões em breve.

[Crunchbase]