O aplicativo de transportes Uber chegou a mais uma cidade. O serviço de motoristas particulares está disponível a partir de hoje em Campinas (SP), cidade que fica a 99 km da capital paulista. É a primeira cidade do interior a receber o serviço.

Em Campinas, o Uber oferece o UberX, modalidade de serviço com carros mais simples e tarifas mais baixas. Por enquanto, nada de Uber Black, opção que conta com SUVs pretos e cobra mais caro.

Os preços operados na cidade serão os mesmos de São Paulo: a tarifa básica é de R$ 2, e são somados R$ 0,26 por quilômetro rodado e R$ 1,40 por minuto de viagem; o preço mínimo é de R$ 7.

Não há bandeira 2 para noites e fins de semana, como fazem os táxis, mas existe a tarifa dinâmica, que multiplica o preço da viagem quando há muita demanda. Recentemente, o Uber baixou suas tarifas e ficou bem mais barato que os táxis em São Paulo.

Leia também:
>>> Chegada do Uber fez a sociedade ver táxi como serviço público
>>> Uber vai usar sensores do smartphone para verificar velocidade dos motoristas
>>> Os desafios do Spotify, Netflix, Airbnb e Uber em se adaptar às leis do Brasil

Campinas é a sexta cidade a receber o Uber no Brasil — as outras cinco cidades em que o aplicativo já opera são as capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília. Sempre que chegou a uma nova cidade, o aplicativo provocou protestos de taxistas.

Em São Paulo, a primeira reação foi proibir o Uber; depois, houve uma tentativa de enquadrá-lo em uma nova categoria de táxis; por fim, a Prefeitura acenou com a possibilidade de regulamentar o serviço, com uma proposta que foi para consulta pública.

Em julho, taxistas de Campinas já faziam protestos contra o aplicativo, mesmo antes de o Uber chegar oficialmente à cidade. A Câmara Municipal aprovou, em uma primeira discussão realizada em agosto, um projeto de lei para proibir o Uber na cidade. Em nota, a Prefeitura diz apenas que fiscalizará táxis clandestinos.