A União Europeia ensaia há bastante tempo uma lei para obrigar que todas as fabricantes de dispositivos eletrônicos adotem um mesmo tipo de conector para cabos de energia ou de carregamento. Nesta quinta-feira (30), o Parlamento votou uma resolução que pede que a Comissão Europeia, que elabora as leis, garanta que os consumidores não sejam mais obrigados a comprar novos carregadores a cada novo aparelho.

A decisão teve 582 votos a favor e 40 contra. E a Apple deve ter ficado um pouco aborrecida com isso.

Um dos principais argumentos do Parlamento Europeu é a geração de lixo eletrônico, principalmente aquele causado por cabos de carregadores de smartphones. A ideia é que as fabricantes adotem um padrão de entrada para que um único carregador possa ser utilizado para vários aparelhos.

A Apple se posiciona contra a medida, afirmando que “regulamentos que direcionam a conformidade por meio do tipo de conector incorporado a todos os smartphones congelam a inovação, em vez de incentivá-la. Essas propostas são ruins para o meio ambiente e desnecessariamente perturbadoras para os clientes”.

Como todos sabem, enquanto a maioria dos novos smartphones Android atuais usam conectores USB-C, os iPhones adotam a entrada Lightning. A empresa da maçã diz que quase 1 bilhão de dispositivos já foram enviados com o conector Lightning e citou o ecossistema de terceiros que surgiu ao criar acessórios para conectores Lightning e que exigir um padrão repentino “resultaria em um volume sem precedentes de lixo eletrônico e incomodaria bastante os usuários”.

Uma regra como essa pode, de fato, causar dores de cabeça no início. Mas não é como se a Apple não soubesse disso, afinal, em 2012 a empresa abandonou o conector de 30 pinos pelo Lightning. Sem contar que o MagSafe, conector para carregamento dos MacBooks, foi substituído por USB-C – justamente o padrão que deve ser adotado a partir de agora. O argumento da companhia, no entanto, é que as alterações precisam ser gradativas e não forçadas.

A Comissão Europeia já tinha definido um padrão universal para o continente em 2009, mas na ocasião a decisão era voluntária – a Apple oferecia adaptadores microUSB na Europa, por exemplo. As autoridades chegaram à conclusão de essa medida não funcionou como o planejado.

A resolução do Parlamento toca nos carregadores sem fio. Os legisladores acreditam que essa solução pode ser benéfica para reduzir o lixo eletrônico, mas quer que a Comissão estabeleça regras para que um único carregador sem fio seja capaz de funcionar com diversos dispositivos. A industria já adota padrões, mas agora pode haver uma legislação que obrigue a compatibilidade.

Se a lei for criada, valerá para a Europa. No entanto, por ser um mercado grande e importante para praticamente todas as marcas, é provável que as regras tenham um impacto global.

[Reuters]