Não é sempre que um centro de convenções é algo digno de empolgação, mas esse novo Centro de Convenções de Dublin, na Irlanda, usa e abusa de boa engenharia e arquitetura, além de um cérebro robótico onisciente para monitorá-lo e ajustá-lo. O resultado? Nenhuma emissão de carbono.

Cada aspecto do Centro foi pensado e projetado para evitar qualquer desperdício – mesmo tendo espaço suficiente para uma sala de espetáculos, um auditório gigantesco e um salão para até 8 mil convidados. Os engenheiros começaram com 6 mil toneladas de concreto de baixo carbono. Um bom início. Daí em diante, o rumo tomado envolveu altíssima tecnologia: sofisticados sistemas de resfriamento e aquecimento que usam o mínimo possível de energia, todos conectados a um computador central que monitora as condições do ambiente em tempo real, para ajustar o consumo de eletricidade de maneira correta.

Quando  o prédio está lotado de convidados, o sistema até armazena o calor e o vapor da água para ser usado em outras situações. O Centro também armazena e produz grandes quantidades de gelo para resfriamento rápido, eliminando a necessidade de ar-condicionado. Para completar, a cereja do bolo é que o lugar ainda é lindo. [Inhabitat]