Em breve, uma cidade na Holanda será a primeira a permitir que traslados sejam feitos por veículos totalmente autônomos em suas ruas públicas – na forma de um pequeno ônibus que vai transportar pessoas entre duas cidades.

Eles são chamados WEpods, e podem carregar até seis pessoas confortavelmente. O projeto é da cidade de Wageningen, que fica em uma área central da Holanda em que a agricultura é o grande negócio. A comunidade vai usar os ônibus para transportar visitantes entre as cidades de Ede e Wageningen (cerca de 17 minutos de distância), assim como para a sua universidade e seu centro de pesquisa agrícola. Os ônibus autônomos vão emprestar um ar de “mobilidade flexível, sustentável, nova e social” para quem visitar a cidade a negócios assim como turistas, como explica o site do projeto.

Os ônibus – que são uma versão alterada dos feitos pela empresa suíça de robótica EasyMile e vêm sendo testados em diferentes projetos particulares – não são muito velozes. Eles trafegam a cerca de 20km/h, segundo o BigThink. Eles também não vão muito longe, e um ser humano sempre estará assistindo remotamente para garantir que as coisas saiam como o esperado. Mas ainda é um grande feito, já que será o primeiro uso regular de um traslado totalmente autônomo em ruas públicas. Google e outras empresas estão testando seus carros sem motorista em ruas públicas há algum tempo, mas eles sempre estão com humanos dentro para casos de emergência – enquanto isso, protótipos autônomos menores já fizeram alguns testes públicos, mas nada permanente.

Prevendo as preocupações que isso poderia levar ao público, os criadores do projeto lançaram um fórum online onde pessoas podem fazer perguntas até o dia 30 de novembro, a data de lançamento do programa. Alguns desses comentários são meio malucos “Eu me sentiria num carro desses como um biscoito se sente no pote de biscoitos, com pouco tempo de vida”. Mas outras discussões acabaram sendo bastante informativas – um pesquisador chamado Joris Ijsselmuiden, que estuda robótica e agricultura e participou do projeto, postou um gif que mostra como os veículos identificam placas de trânsito e objetos usando visão computacional.

traslado-autonomo-4

É claro que os ônibus vão usar dados GPS, mas eles também usarão visão computacional para ver informações sobre as redondezas do ônibus independentemente. Ijsselmuiden explicou:

Se a precisão do sistema GPS diminuir, por exemplo pelas árvores na rua, é necessário um tipo de detecção de pontos de referência. Aqui as câmeras detectam objetos pelo caminho e os compara com objetos conhecidos de gravações anteriores. A posição desses objetos é conhecida e então o veículo pode calcular onde está localizado.

É bem legal ver esse tipo de aprendizado de máquinas em ação – mesmo que seja a apenas 20 quilômetros por hora.