Você já deve ter passado por isso: compra um celular e logo descobre que ele vem com aplicativos de escritório, anotações, ferramenta de não sei o que lá, redes sociais e jogos que você não vai usar. Aí você vai tentar desinstalar e… não pode. Tudo que dá para fazer é jogá-los em uma pastinha a ser esquecida ou desativá-los. Se você odeia isso, saiba que não está sozinho: a União Europeia também quer mudar isso.

De acordo com o XDA Developers, o bloco europeu quer incluir em sua Lei de Serviços Digitais um artigo que obriga as fabricantes a permitir que os apps que vêm com os aparelhos sejam desinstalados.

A Lei de Serviços Digitais (Digital Services Act) da União Europeia é uma legislação que visa, em grande parte, dificultar que as gigantes da tecnologia favoreçam seus próprios serviços em detrimento dos concorrentes, além de impor várias limitações de uso dos dados coletados nas plataformas de comércio como lojas de apps (caso de Google e Apple) e marketplace (caso da Amazon).

Não é a primeira vez que a Europa toma medidas contra gigantes da tecnologia por abuso de poder econômico. O Google já foi multado em mais de 4 bilhões de euros por colocar sua busca no Android e precisou mudar a forma como licencia seus aplicativos, passando a cobrar das fabricantes para que eles viessem instalados nos aparelhos vendidos no continente.

Obviamente, a medida se aplica só aos países da União Europeia, mas, dado o que aconteceu com a GDPR, regulamentação de dados pessoais do bloco que acelerou a implantação de medidas parecidas em outros países, não seria de se espantar se copiassem a ideia em mais lugares. Quem sempre reclama do armazenamento perdido e do monte de aplicativos que vêm instalados nos aparelhos certamente iria adorar uma lei desse tipo.