A pesquisa científica brasileira ganhou um reforço de peso na última terça-feira: foi inaugurado no campus de São Carlos da USP o cluster computacional Euler, um supercomputador com capacidade de 47 trilhões de FLOPS, o mais potente do tipo no Estado de São Paulo.

O Euler –que tem esse nome em homenagem ao matemático e físico de mesmo nome— foi comprado por R$4,5 milhões e é composto por 104 computadores ligados em rede, cada um com dois processadores e 20 núcleos. A capacidade total é de 47 trilhões de operações de ponto flutuante por segundo — para efeito de comparação, um laptop tem capacidade para cerca de 10 bilhões, enquanto o Tianhe-2, o supercomputador mais potente do mundo, tem capacidade para mais de 33 quatrilhões.

Instalado no ICMC (Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação) da USP, o Euler foi financiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e, por isso, poderá ser usado por pesquisadores vinculados a outras instituições e universidades paulistas. E, mesmo com poucos dias desde sua inauguração, o supercomputador já está sendo bastante utilizado em realização de simulações de refino e combustão de petróleo, e por pesquisadores do Centro Técnico Aeroespacial (CTA) para simulações aerodinâmicas do foguete brasileiro SARA.

“Antes demorávamos 150 dias para fazer uma simulação aerodinâmica. Hoje, com o supercomputador, conseguimos fazê-las em 20 dias”, comparou Carlo Junqueira-Junior, doutorando no IEA/CTA, diz à Agência Fapesp.

Além disso, o sistema computacional já está com um upgrade planejado para os próximos dois anos, que deverá aumentar o número de processadores e transformá-lo no supercomputador mais potente de todas as universidades brasileiras, com um desempenho que o aproximará da lista dos 500 maiores supercomputadores do mundo. [Agência Fapesp]