Pessoas que são injustamente mantidas longe da companhia felina devido a alergias estão se alegrando esta semana, após notícias sobre uma potencial vacina que diminui a capacidade dos gatos em causarem alergias. Mas embora esta pesquisa seja promissora, ainda pode demorar até um produto final estar disponível no mercado.

A vacina em questão está sendo desenvolvida pela suíça Hypocat e é a principal droga experimental e homônima da empresa. Em abril deste ano, a Hypocat publicou os resultados de um estudo sobre a vacina. E é esta a notícia sobre a qual a internet, por razões desconhecidas, começou a falar sobre novamente.

O estudo, publicado no Journal of Allergy and Clinical Immunology, detalha uma estratégia muito inteligente para lidar com alergias a gatos.

A vacina não tenta dessensibilizar o sistema imunológico de pessoas alérgicas a gatos, como outras imunoterapias existentes, como as injeções contra alergia. Em vez disso, ela tenta treinar o sistema imunológico de gatos para ir atrás de uma proteína específica, ou alérgeno (substância que causa reações alérgicas em indivíduos hipersensíveis a ela), que eles produzem naturalmente chamado Fel d 1. A nova vacina supostamente solucionará o problema acoplando uma versão geneticamente modificada da proteína a uma partícula similar a um vírus derivada de um vírus de planta (sendo apenas uma partícula, ela não deveria ser capaz de causar doenças).

Cerca de 90% das pessoas com alergia a gatos produzem anticorpos contra Fel d 1. Portanto, se for bem-sucedida, a vacina basicamente tornará os gatos hipoalergênicos, reduzindo bastante a quantidade de Fel d 1 que eles produzem e, eventualmente, lançam em nossos narizes e bocas.

No estudo, pelo menos, foi isso o que a vacina pareceu fazer. Em vários experimentos, mais de 50 gatos jovens receberam a vacina, administrada por meio de uma injeção nas patas traseiras. No último experimento, os gatos receberam três doses ao longo de nove semanas; alguns também receberam um reforço seis meses depois.

Todos os felinos, os cientistas relataram, desenvolveram uma resposta imunológica sustentada ao alérgeno, e o estímulo ajudou a manter os níveis de anticorpos altos. Anticorpos retirados do sangue dos gatos também pareciam neutralizar o Fel d 1 no laboratório, enquanto os próprios gatos produziam menos Fel d 1 em sua saliva e lágrimas. E quando essas amostras de gatos foram misturadas com sangue retirado de pacientes humanos reais com alergia a gatos, elas causaram menos reações alérgicas.

Mais importante para os amantes de animais, a vacina não pareceu causar efeitos colaterais sérios ou a longo prazo nos gatos. Uma razão provável para isso é que o Fel d 1 não tem uma função crucial em gatos, até onde sabemos. Alguns desses animais já apresentam níveis naturalmente muito baixos de Fel d 1, sem nenhum problema de saúde aparente. A vacina também não elimina completamente a proteína.

Esta é uma notícia animadora, mas os dados também são precoces e “pré-clínicos”. A empresa disse que está conversando com agências de aprovação de drogas dos EUA e da Europa e que começou a estabelecer as bases para produção em massa e ensaios clínicos envolvendo pessoas. Mas mesmo que esses testes tenham começado hoje e a vacina tenha se mostrado bem-sucedida, ainda pode levar anos até que ela chegue ao mercado. Uma vacina similar para cães, chamada Hypodog, também está sendo desenvolvida pela empresa e está ainda mais atrasada.

De qualquer forma, pode ficar feliz por algum dia possuir um animal de estimação que não vai transformá-lo em uma máquina de espirros. Apenas saiba que você terá que ser paciente por mais um tempo.