O valor de mercado do Bitcoin continua em queda expressiva nesta segunda-feira (21), quando chegou a pouco mais de US$ 32 mil — perda de 17,65% em comparação com o índice registrado há uma semana. Só que essa queda abrupta teria uma explicação mais concreta, e não muito relacionada ao mercado de criptomoedas em si: teria acontecido porque 90% das fábricas de mineração de moedas digitais na China ficaram fechadas neste fim de semana.

De acordo com a agência de notícias chinesa Global Times, as instalações de mineração de Bitcoin da província de Sichuan receberam uma ordem na sexta-feira passada (18) para interromper qualquer transação pelo menos até o último domingo (20). Vídeos publicados nas redes sociais mostram mineiros em Sichuan desligando dezenas de máquinas após decisões do governo chinês.

Ainda na sexta, a Comissão de Reforma e Desenvolvimento Provincial e o Instituto de Energia de Sichuan emitiram uma ordem para todas as empresas de eletricidade da região bloquearem o fornecimento de eletricidade para quaisquer organizações ligadas à mineração de criptomoedas. Isso incluiu 26 companhias que já haviam sido identificadas publicamente.

Muitos mineradores acreditavam que o uso indiscriminado de energia hidrelétrica em Sichuan passaria despercebido pelo governo local — o que não foi o caso.

“Esperávamos que Sichuan ficasse de fora da lista do governo, já que há um crescimento do ganho de eletricidade por causa da estação chuvosa. Mas os reguladores chineses estão adotando uma abordagem uniforme, impactando a mineração de Bitcoin em expansão na China”, escreveu Shentu Qingchun, CEO da Shenzhen Crypto Company, que faz negócios envolvendo a mineração de criptomoedas.

Assine a newsletter do Gizmodo

O dia depois de amanhã

Com seus negócios sendo minados (perdão pelo trocadilho) na China, muitos mineiros de criptomoedas agora tentam vender seus equipamentos no exterior. E, ao que tudo indica, alguns já conseguiram encontrar compradores. Eunice Yoon, da CNBC, publicou um tweet nesta segunda-feira indicando que uma empresa chinesa de logística enviou cerca de três toneladas de aparelhos de mineração de criptomoedas para um comprador anônimo em Maryland, nos EUA.

Além do Bitcoin, o Ethereum também enfrentou uma queda nesta segunda, passando a valer US$ 1.930 (22,25% a menos do que sete dias atrás). A moeda-meme Dogecoin foi outra que não passou ilesa, registrando uma queda de 2,74% e valendo apenas US$ 0,22 na manhã de segunda.