O maior vazamento de gás natural já registrado está colocando em risco a saúde de milhares de residentes no sul da Califórnia, e pode intensificar a mudança climática na região. Dois meses após ser detectado, ele ainda não pôde ser contido por cientistas e engenheiros.

O desastre ambiental é tão grave que alguns especialistas que atuaram no vazamento de petróleo Deepwater Horizon da BP, em 2010, estão trabalhando para conter este problema.



Em 23 de outubro, a Southern California Gas Company descobriu um vazamento em sua instalação de armazenamento de gás natural em Porter Ranch, um bairro a 40 km do centro de Los Angeles. Engenheiros não sabem o que causou isso, mas acreditam que um revestimento de tubo quebrou bem abaixo da superfície.

Levará pelo menos mais alguns meses para encontrar a fonte e reparar o vazamento, o que requer uma perfuração cuidadosa longe do próprio tanque para evitar inflamar o gás e provocar uma explosão. Milhares de famílias de Porter Ranch foram realocadas, muitas delas sem saber quando estarão de volta em suas casas.

Gas Leak
Um poço de alívio está sendo ligado ao vazamento na esperança de que todo o gás possa ser desviado para lá enquanto engenheiros tentam selar o tubo quebrado. (Dean Musgrove/Los Angeles Daily News via AP)

Durante dois meses, o vazamento vem emitindo gás natural na atmosfera a até 50.000 kg por hora. Isso é grave porque, embora o gás natural seja uma fonte de energia melhor do que o carvão quando se trata de emissões, em sua forma bruta ele destrói o clima, e 195 países vêm se esforçando para mantê-lo fora da atmosfera.

De acordo com um relatório do Environmental Defense Fund, que está monitorando a quantidade de gás vazado em tempo real:

O metano – principal componente do gás natural – é uma força poderosa de mudança climática de curto prazo, com mais de 80 vezes a potência de aquecimento do dióxido de carbono nos primeiros 20 anos após ser lançado na atmosfera.

Estima-se que o metano está vazando no local de Aliso Canyon a uma taxa de cerca de 1,8 milhão de metros cúbicos por dia. Esse é o mesmo impacto de efeito estufa de curto prazo que a emissão de 7 milhões de carros.

Isso é uma má notícia para os moradores locais, que sofrem com dores de cabeça e dificuldade para respirar – duas escolas foram realocadas para o primeiro semestre de 2016. Além disso, o vazamento é potencialmente devastador em escala planetária. Um porta-voz do Air Resources Board da Califórnia diz ao Mashable que o vazamento está despejando o equivalente a “oito ou nove usinas de carvão” de metano em nosso clima já frágil.

O vazamento em si é invisível, mas um novo vídeo em infravermelho mostra o jato de gás soprando nas colinas. Espero que o vídeo chame a atenção para este problema: eu, como uma residente do sul da Califórnia, ainda não entendia a gravidade da situação.

Vamos torcer para que não só o vazamento possa ser reparado em breve, mas que, no mínimo, a Califórnia tome medidas rápidas para garantir o armazenamento seguro e transporte de gás natural no futuro.

[Motherboard e Mashable]