Veja como um ladrão de criptomoedas usava o Snapchat para atrair vítimas

Usando o Snapchat, o criminoso entrava em contato com as vítimas oferecendo a troca de criptomoedas por dinheiro vivo. Ao chegar para receber a grana, vítimas eram coagidas a esvaziar suas carteiras digitais

Golpes aplicados via redes sociais se tornaram vez mais comuns. E, apesar de a maioria deles ter como palco o Instagram e o WhatsApp, criminosos também podem usar outras redes para atrair suas vítimas — incluindo o (falecido?) Snapchat.

Na última sexta-feira (14), Karim Hassan de 21 anos, foi preso em Londres após roubar £ 34 mil (cerca de R$ 212 mil) de vítimas que ele atraiu usando a rede social de vídeos curtos. Ele foi julgado e condenado a cinco anos de prisão na última semana.

O criminoso entrava em contato com as vítimas pelo Snapchat oferecendo a troca de criptomoedas por dinheiro vivo. Na sequência, ele marcava um encontro dentro do seu próprio carro, onde roubava suas vítimas.

Dezenas de vítimas caíram na lábia de Hassan. Algumas delas chegaram a relatar ameaças, agressões físicas e até mesmo assédio sexual.

Em entrevista ao site Bleeping Computer, uma das vítimas, que teve £ 20 mil roubados, relatou que, ao recusar entregar o celular para Karim Hassan, foi ameaçada pelo criminoso, que disse que enfiaria uma faca em seu pescoço.

A vítima, assim, disse não ter outra escolha a não ser entregar sua carteira de criptomoedas. Todas as transações eram feitas através dos smartphones das próprias vítimas, que eram obrigadas a fazer autorizações com as digitais.

O criminoso, ao que parece, não trabalhava sozinho. Algumas vítimas alegaram terem apanhado de mais de uma pessoa. Cabia a Hassan, porém, o cargo de “mentor” dos crimes, o que incluía atrair as pessoas pela rede social.

Sair da versão mobile