Pesquisadores da Universidade de Guelph descreveram como as abelhas asiáticas (Apis cerana) dão “chamados de alerta” em resposta aos vespões gigantes, seu pior predador. Os resultados do estudo foram publicados na Royal Society Open Science.

A pesquisa mostra que as abelhas reconhecem e respondem a diferentes vespas usando vários sinais, um tipo de sistema de alerta que é mais conhecido entre os mamíferos e as aves.

Os insetos têm dois tipos de predadores específicos, as vespas de patas amarelas (Vespa velutina), que normalmente pairam fora da colmeia e pegam os insetos que estão voltando; e as vespas gigantes (Vespa soror  no Vietnã) – a maior ameaça. 

Depois de encontrar uma colônia de abelhas ou outras vespas sociais, elas recrutam um grupo para caçar.  As predadoras ocupam o ninho e colhem as larvas e pupas para alimentar suas próprias larvas em desenvolvimento.

Estudando a região, os pesquisadores descobriram que as abelhas usam diversos sons para espalhar rapidamente uma mensagem de alarme por toda a colônia sobre os predadores nas proximidades.

Gard Otis, professor da Escola de Ciências Ambientais da Universidade de Guelph, explica que a equipe ouviu ruídos incomuns vindos de uma colmeia que acabara de ser visitada por uma vespa gigante. “Eu literalmente não conseguia acreditar no que estava ouvindo, as abelhas estavam a um metro de distância”. 

Os pesquisadores usaram  um programa de computador desenvolvido para identificar o canto dos pássaros em gravações, com o objetivo de isolar os sinais individuais das abelhas. Eles isolaram mais de 29 mil alertas dos insetos. 

Heather Mattila, que liderou o estudo, explicou que para os observadores humanos que escutam as abelhas, seus sons transmitem uma sensação de urgência que parece um tanto universal.

A equipe pretende continuar com as pesquisas para entender melhor o comportamento das abelhas quando se trata de proteger toda a colmeia.