Caranguejos eremitas se abrigam em conchas abandonadas há milhões de anos, mas novas evidências mostram que este estilo de vida mais reservado existe há muito mais tempo. Pesquisadores da Universidade inglesa de Durham e da Universidade chinesa de Yunnan descobriram que os micro-organismos conhecidos como ‘vermes do pênis’ (Eximipriapulus),  já eram ‘eremitas’, há mais ou menos 500 milhões de anos. As descobertas foram publicadas na Current Biology. 

Além dos caranguejos, outras espécies de crustáceos e vermes modernos habitam conchas rejeitadas por outras criaturas marinhas, principalmente para proteção contra predadores, explicou Martin Smith, paleontólogo de Durham. Até pouco tempo, os fósseis mais antigos conhecidos sugeriam que o comportamento eremita tinha cerca de 170 milhões de anos.

A equipe descobriu fósseis de invasores antigos que foram preservados em rochas depositadas como sedimentos do fundo do mar. Os vestígios tem cerca de 500 milhões de anos e foram encontrados no que hoje é o sul da China. As conchas em forma de cone que parecem conter os ocupantes provavelmente pertenceram a hiolitos, grupo de antigos invertebrados marinhos que foram extintos há mais de 250 milhões de anos.

Essa é a primeira vez que o estilo de vida eremita foi documentado ou observado em vermes de pênis vivos ou fósseis. Smith disse que os micro-organismos estão sempre acomodados dentro desses mesmos tipos de conchas, na mesma posição e orientação. 

A equipe acredita que os predadores da época eram abundantes e agressivos, forçando os vermes do pênis a se abrigarem permanentemente em conchas vazias. Segundo Smith, a única explicação que faz sentido é que essas conchas eram as casas dos animais. “Não muito antes de esses organismos existirem, não havia nada vivo mais complexo do que algas marinhas ou águas-vivas: por isso, é surpreendente que comecemos a ver as ecologias diferentes associadas a períodos geológicos muito mais jovens.”

Crédito: Zhang Xiguang, Universidade de Yunnan

Assine a newsletter do Gizmodo

Atualmente os vermes do pênis só são encontrados em locais onde é difícil para os predadores se firmarem. Alguns são minúsculos e vivem entre os grãos de areia. Outros vivem em águas sujas, sem oxigênio e parcialmente tóxicas. E eles não se refugiam mais em conchas.

O pesquisador disse à CNN  que mais nenhum verme é eremita, uma das razões pelas quais os resultados da equipe são tão imprevisíveis.

[SciTechDaily]