O astronauta Alexander Gerst, da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês), capturou uma das cenas mais memoráveis de um lançamento de um foguete. O vídeo parece ter sido produzido por uma empresa de efeitos especiais.

O timelapse mostra o lançamento do foguete russo Soyuz, que voou no dia 16 de novembro de 2018 a partir do cosmódromo Baikonur, no Casaquistão. Uma sonda Progress MS-10 com carga de 2.564 kg estava no foguete e tinha uma rota em direção à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

A ISS está a cerca de 400 quilômetros acima da superfície da Terra e se move a 28.000 km/h. Suprimentos são enviados assim que a ISS sobrevoa a região de lançamento, permitindo que a sonda de carga siga e alcance o posto em cerca de dois dias, que neste caso foi no dia 18 de novembro de 2018.

Equipado com uma câmera, o astronauta da ESA, Alexander Gerst, fez o vídeo enquanto estava dentro do módulo Cupola da ISS. O vídeo final tem momentos que estão acelerados de oito a 16 vezes e comprime 15 minutos de gravação em um único minuto.

Um dos momentos mais marcantes é a separação do propulsor Soyuz-FG, que acontece aos sete segundos. Depois, há a separação do estágio do núcleo aos 19 segundos. Aos 34 segundo, o estágio do núcleo começa a queimar na atmosfera, voltando à Terra depois de ficar sem combustível. Assisti-lo queimar enquanto volta à atmosfera é bem legal. Depois desse estágio, a sonda Progress se separa do foguete e entra em órbita para alcançar a ISS.

O vídeo de Gerst nos dá uma perspectiva dos lançamentos de foguetes com a qual não estamos acostumados. É um outro lembrete de quão espetacular é a vista da ISS. O vídeo é impressionante, mas não deve ser nada parecido com a experiência de viver isso pessoalmente.

[ESA]