Nokia E75 from Jesus Diaz on Vimeo.

Lembra daquele celular velho da Nokia, o Commuicator, o primeiro smartphone com e-mail e umas aplicações e tal, que era feio e maior do que o sapato do Bozo? Nem eu. Mas aqui está seu herdeiro, de acordo com a coletiva de hoje cedo da Nokia: o E75.

Um monte de coisas boas podem ser ditas sobre o E75, o suposto Communicator do século 21.

O Hardware foi bem desenhado, parece ser sólido e bem acabado. Ele é gostoso de se apalpar, o tamanho é aceitável, ainda mais se você comparar com o velho Communicator. O software é 100% Nomkia, e vem com o serviço Ovi Mail – que junta todas as suas contas de e-mail. Como eu disse, tudo bacana.

É isso que o E75 é: brilhante, bem acabado, bacaninha. E chato. Pense nas alternativas, como o iPhone, o G1, o Idou, os novos HTC e tal – de todos, o Nokia E75 é o mais chato. Com uma interface que parece ser de 1990, com ícones pequenos e pequenos textos e uma telinha pequenininha.

Lógico, não é todo mundo que fica excitado pensando em um celular. Mas com o E75, parece que a Nokia não está nem tentando ir junto com os avanços dos outros celulares, ficando na confortável Terra do Symbian. Nada de quebrar velha forma e se colocar à frente, com novas idéias. No fim das contas, o mais importante é o software e a usabilidade, e o E75 falha nisso, caindo em um buraco de chatice.