Um vídeo surpreendente tem percorrido as redes sociais nos últimos dias: nele, um paciente toca violão enquanto uma equipe médica realiza cirurgia na cabeça dele. O que você talvez não saiba é que o paciente é brasileiro e a cirurgia foi feita em um hospital de Tubarão, Santa Catarina.

O bancário Anthony Kulkamp Dias foi submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor no cérebro. Em procedimentos como esse, é comum o paciente ser mantido acordado para que a atividade cerebral possa ser monitorada, assim evitando quaisquer lesões em áreas sensoriais, motoras e de fala.

De acordo com um comunicado do Hospital Nossa Senhora da Conceição:

“A cirurgia trata-se de um grande avanço na medicina, pois é possível fazer, de forma segura, um verdadeiro mapeamento do cérebro do paciente, evitando-se lesões que podem comprometer áreas importantes e refletir na qualidade de vida do paciente.”

De acordo com o Dr. Jean Abreu Machado, diretor clínico do hospital e anestesiologista da cirurgia, procedimentos neurocirúrgicos como esse são, geralmente, realizados com o paciente sob anestesia geral, ou seja, inconsciente, desta forma evitando possíveis dores.

Entretanto, quando o tumor é localizado muito próximo de áreas sensíveis — de fala, movimentação e sensibilidade — existe o risco destas serem danificadas e perdidas durante a cirurgia, por isso a necessidade de manter o paciente acordado. Ele explica que ao monitorar as áreas sensíveis em tempo real, é possível diminuir as chances de lesão, otimizando o tratamento:

“Mantendo o paciente acordado durante a cirurgia, estas áreas podem ser monitoradas em tempo real. É feito uma espécie de mapeamento das áreas importantes”

Dias tocou e cantou Yesterday do Beatles; Bem Maior, do Roupa Nova; Telefone Mudo, do Trio Parada Dura; e Emanuel, canção original que compôs para o filho recém-nascido. “Os médicos pediram para eu repetir a música sertaneja (“Telefone mudo”) duas vezes. Então teve até bis”, diz em entrevista ao G1.

A cirurgia levou 9h para ser completada e Dias intercalou cada música com descansos. Machado o ajudou com o peso do violão. “A mão do lado direito estava um pouco fraca por causa do lado onde eles estavam mexendo. Então eu parava e descansava”, conta.

Não é a primeira cirurgia cerebral com pacientes acordados do Hospital Nossa Senhora da Conceição, mas é a primeira em que um paciente toca violão. Entretanto, a primeira cirurgia do tipo — na qual um paciente toca um instrumento enquanto é operado — ocorreu há cerca de dois anos, nos EUA: um paciente em tratamento da doença de Parkinson tocou guitarra enquanto o cérebro dele era operado. Os médicos precisavam saber o local exato do cérebro em qual eletrodos seriam instalados para tratar a doença.

Assim como Dias, Brad Carter não foi o primeiro a passar por tal operação acordado, mas foi o primeiro a tocar um instrumento durante o procedimento. A operação não curou a doença de Carter, mas o ajudou a controlar melhor os tremores. E assim como Dias, Carter também gravou um vídeo da operação, que você pode conferir abaixo. [Facebook, G1, BBC]