A Federação dos Cientistas Americanos tem um interessante mapa para todos os hipocondríacos e pessoas que vivem com medo permanente de uma epidemia de vírus letal. Ou do apocalipse zumbi. Estas são todas as instalações (conhecidas) de Biossegurança Nível 3 e 4 do mundo — grandes laboratórios de contenção que trabalham com “patogenias perigosas e emergentes.” Olhe atentamente ao mapa para ver se não há alguma perto de você — e hey, tem um no Brasil, o Laboratório Klaus Eberhard Stewien!

Mas o que exatamente os níveis 3 e 4 significam?

BSL-3, Biossegurança Nível 3

Este é o segundo tipo mais perigoso de instalação de pesquisa de patogêneses.

De acordo com a FAS, instalações nível 3 são “aplicáveis para instalações de pesquisa, produção, aprendizado, diagnóstico ou avaliações clínicas envolvendo agentes nativos ou exóticos que possam causar doenças sérias ou potencialmente letais como resultado da exposição ou inalação”, como aqueles associados à maioria dos agentes de guerra biológica.

Os cientistas que trabalham nesses locais têm que manipular esses vírus e bactérias exclusivamente usando “câmaras de segurança biológica” ou vestindo “equipamento e roupas protetoras.”

Esse tipo de laboratório deve atender requisitos de design e engenharia especiais, incluindo um “sistema de ventilação com dutos de ar que criam um fluxo de ar direcional capazes de puxar o ar de áreas ‘limpas’ para áreas ‘contaminadas’.”

O ar desse sistema de ventilação é jogado para fora do prédio depois de passar por um tipo de filtro de ar particulado de alta eficiência. Esse filtro remove “99,97% de todas as partículas que têm 0,3 micrômetros ou mais, o que significa todos os agentes microbianos são barrados pelo filtro.”

BSL-4, Biossegurança Nível 4

Este é o tipo mais perigoso de instalação de pesquisa de patogêneses, o tipo de estrutura que você vê em filmes como Epidemia. Esse nível de segurança é requisitado para se trabalhar com “agentes perigosos e exóticos que representam um algo risco individual de doença fatal.”

Esses grandes laboratórios de contenção têm seus próprios prédios ou funcionam em áreas completamente isoladas do restante do prédio onde estão. Isso quer dizer que “paredes, piso e teto da instalação são construídos para formar uma casca interna selada que facilite a fumigação e seja à prova de animais e insetos.” Esses são os demais requisitos:

  • “Um sistema de ventilação dedicado sem a recirculação de ar. Os componentes de exaustão e suprimentos do sistema são equilibrados para garantir o fluxo de ar direcional da área de menos perigo para a(s) área(s) potencialmente mais perigosa(s).
  • Dentro das áreas de trabalho da instalação, todas as atividades são confinadas em câmaras de segurança biológica Classe III — ou Classe II com trajes em uma peça com pressão positiva e ventilados por um sistema de suporte à vida.
  • O laboratório de Biossegurança Nível 4 tem uma engenharia especial e recursos de design para prevenir que micro-organismos se disseminem no ambiente.
  • Funcionários só entram e saem desses locais trocando de roupa e passando por uma sala de banho, e tomam uma ducha cada vez que deixam as instalações.
  • Roupas pessoais são removidas para um vestiário externo e mantidas lá.
  • Uma área especial para trajes pode ser provida na instalação para prover segurança aos funcionários equivalente à provida por câmaras Classe III.
  • O exaustor da área de trajes é filtrado por dois conjuntos de filtros HEPA instalados em série.
  • Suprimentos e materiais necessários na instalação são trazidos através de uma porta dupla com travas automáticas, câmara de fumigação ou câmara de pressão, que são corretamente descontaminadas entre cada uso.”

Pra que tanta preocupação, você pergunta? A resposta é simples. São esses tipos de monstros invisíveis a olho nu que são manipulados em instalações Nível 4:

A pesquisa em instalações Nível 4 deve ser um tipo de trabalho bem relaxante!

Se você quiser ver o mapa de perto, a FAS tem uma versão interativa no link ao lado. [FAS]