Apesar de uma interface elegante, boas opções de hardware, atualizações rápidas e OS veloz e competente, o Windows Phone ainda não decolou. E chega mais um ponto positivo para o sistema: ele já passou dos 50.000 apps publicados no Marketplace, atingindo a marca mais rápido que o Android. Isso pode ainda não ser o bastante.

Charlie Kindel trabalhava na equipe do Windows Phone da Microsoft, e explica alguns motivos pelos quais o Windows Phone ainda está longe de fazer sucesso. Um celular precisa do apoio de três agentes para dar certo: fabricante, operadora e fornecedora do OS. Se as relações entre as três forem tensas, a plataforma não vai para a frente.

Com a Apple, o aparelho e o OS vêm do mesmo lugar, e as operadoras fazem de tudo para oferecer o aparelho, então o iPhone vende bem. No Android, fabricantes e operadoras têm a liberdade de fazer o que quiser: fabricantes fazem os aparelhos que querem e modificam o Android sem muitas restrições, e as operadoras podem colocar crapware à vontade e não são obrigadas a atualizar o aparelho. Então elas promovem fortemente o Android, e ele vende bem.

E o Windows Phone? Nele, a Microsoft obriga as fabricantes a usarem requisitos mínimos relativamente rígidos – tanto que, em termos de hardware (CPU, RAM, câmera) os aparelhos são quase iguais. E as operadoras são obrigadas a atualizar rápido os aparelhos (a última atualização do Windows Phone chegou a todos os aparelhos nos EUA em até seis semanas). Então os dois lados ficam relutantes em promover o Windows Phone – e são eles que decidem o que mostrar aos consumidores. Pouca gente escolhe o Windows Phone porque poucos de fato o oferecem.

Mesmo em questão de apps o Windows Phone sofre. Sim, ele tem 50.000 aplicativos no Marketplace, segundo o All About Windows Phone, mas eles não estão disponíveis em todos os países – no Brasil, ainda temos pouquíssimos jogos, por exemplo. E desenvolvedores ficam relutantes em apoiar a plataforma, pois já precisam dedicar recursos ao iOS e Android. E mais: a interface dos apps para Windows Phone é bem específica, e requer mais trabalho – para o Android, você pode simplesmente usar a interface do seu app para iOS.

Chegamos a uma triste conclusão: o que torna o Windows Phone um OS móvel incrível é também o que atrasa sua adoção. Atualizações rápidas irritam operadoras; a falta de fragmentação no hardware irrita fabricantes; e a nova interface dos apps irrita desenvolvedores. O que a Microsoft deveria fazer? Apoiar desenvolvedores e fazer mais propaganda (e propaganda melhor) do Windows Phone. A Microsoft pode fazer o WP dar certo: lembre que eles chegaram tarde no mercado de videogames, e nos últimos meses o Xbox foi o console mais vendido nos EUA. [Charlie Kindel via NYTimes; All About Windows Phone via The Verge]