Hoje, a Samsung deve revelar o Galaxy Note 5. Talvez por isso, a Xiaomi resolveu roubar um pouco da atenção com seus dois novos phablets: o Redmi Note 2 e o Redmi Note 2 Prime.

O Redmi Note 2 possui uma tela Full-HD de 5,5 polegadas que é boa para ler no escuro: ela tem um brilho mínimo de apenas 0,5 cd/m².

Por dentro, temos 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento – com suporte a microSD – e um processador de oito núcleos da MediaTek com suporte a 64 bits.

A câmera traseira de 13 megapixels tem sensor fabricado pela Samsung, abertura f/2.2 e foco automático de 0,1 segundo através de detecção de fase. Enquanto isso, a câmera frontal tem 5 MP, abertura f/2.0 e pixels grandes de 1,4 mícrons.

Xiaomi Redmi Note 2 (2)

A bateria removível de 3.060 mAh tem suporte a Quick Charge 2.0, que promete carregamento 75% mais rápido. Além disso, o smartphone tem um blaster infravermelho na parte superior, permitindo controlar sua TV, home theater e até o ar-condicionado. São 8,25 mm de espessura e 160g.

Ele roda MIUI 7, baseado no Android 5.0 Lollipop, e está disponível em duas versões: dual-SIM com suporte a um chip 4G pelo equivalente a R$ 435; e dual-SIM com dois chips 4G por R$ 490.

Xiaomi Redmi Note 2 (1)

O Redmi Note 2 Prime é basicamente igual. A diferença está no clock mais rápido do processador (2,2 GHz, em vez dos 2 GHz no Note 2) e nos 32 GB de armazenamento, também com suporte a microSD. Ele custa o equivalente a R$ 540.

Todos os modelos estarão disponíveis em 16 de agosto apenas na China.

No Brasil, a Xiaomi vende só o Redmi 2, com especificações básicas. Hugo Barra, vice-presidente internacional da Xiaomi, nos disse anteriormente: “o foco é um modelo de cada vez; a gente vai trabalhar bastante o Redmi 2” antes que seja lançado um novo smartphone por aqui.

[MIUI via Engadget e TechCrunch]

Xiaomi Redmi Note 2 (2)
Imagens por Xiaomi