Se ainda não te deu vontade de começar a pagar pelos conteúdos originais do YouTube, não comece agora. De acordo com reportagens de Hollywood Reporter Variety, o YouTube está buscando mudar sua estratégia de conteúdo próprio, tornando sua programação gratuita para todos “a partir do ano que vem”.

• YouTube testa colocar duas propagandas antes de início do vídeo
• YouTube começa a oferecer filmes de graça com anúncios durante a reprodução

Atualmente, a única maneira de assistir a programas do YouTube Originals, como Cobra Kai, o spinoff de Karatê Kid, e Step Up: High Water, é por meio do serviço de assinatura do site, o YouTube Premium. Mas o custo é relativamente alto, em R$ 20,90, embora você tenha as vantagens de poder assistir a vídeos offline e de não ser interrompido por anúncios (ainda que extensões gratuitas já deem conta dessa última parte).

Até agora, a seleção de conteúdos do YouTube não conseguiu muito buzz ou elogios, especialmente em comparação com conteúdos de concorrentes como Netflix e Amazon (diz aí, você já ouviu falar de Sideswiped? E o que é Champaign ILL? Você sabia que a Demi Lovato tem um documentário no YouTube?). Isso acontece, em parte, porque os cofres do YouTube para conteúdos com script não está exatamente transbordando. O Hollywood Reporter diz que o orçamento do YouTube Originals está na casa das “centenas de milhões” de dólares, enquanto Netflix e Amazon têm “vários bilhões” para lançar produções capazes de ganhar premiações.

“Conforme olhamos para 2019, começaremos a tornar todos os nossos conteúdos YouTube Originals sustentados por anúncios, para atender à crescente demanda de uma base de fãs mais global”, disse um porta-voz do YouTube em comunicado à Variety. “Essa próxima fase da nossa estratégia de conteúdo original expandirá o público de nossos criadores do YouTube Originals e fornecerá aos anunciantes um conteúdo incrível que chega à geração do YouTube”, disse o porta-voz. Essa afirmação parece sugerir que o YouTube planeja se inclinar mais fortemente para conteúdo produzido por celebridades e seus vídeos típicos de criador, em vez de programas caros e com roteiros.

Para deixar claro, o YouTube não está necessariamente abandonando o conteúdo original — ele está apenas planejando colocar anúncios em seus originais em vez de deixar todos eles bloqueados atrás de uma mensalidade. A empresa não revelou quantas pessoas pagam pelo YouTube Premium, pela YouTube TV ou por seu serviço mais recente, o YouTube Music Premium, mas ela parece ter entendido o recado. Embora não estejamos doidos para gastar um dinheirinho só para assistir a Cobra Kai, o YouTube poderia extrair de você algum dinheiro extra de anúncios oferecendo as mesmas coisas de graça.

[Variety, Hollywood Reporter]