Na última semana, o criador de conteúdo Ryan Trahan, dos Estados Unidos, publicou um vídeo em seu canal no YouTube onde registra como foi passar 100 dias dentro do Metaverso.

Para mergulhar no mundo virtual, Trahan se isolou em casa e usou óculos de realidade virtual durante toda a experiência. Não tirava o equipamento sequer durante as refeições ou quando escovava os dentes. Ou mesmo dormindo!

Em vez de simplesmente jogar, o youtuber optou por criar um relato da sua aventura, tendo uma experiência imersiva, explorando os vários ambientes do Metaverso e interagindo com as pessoas.

Por dentro do Metaverso

Já nos primeiros dias, Ryan (ou “Bryan”, no Metaverso) fez amizade com Klay, um avatar vestido de stormtrooper que acompanhou parte da jornada do youtuber no mundo virtual.

Durante a experiência, ele  jogou minigolfe, brincou com patos, foi ao cinema, assistiu a um eclipse lunar, dirigiu um carro de corrida, explorou o planeta Marte, visitou um zoológico, entre outras experiências virtuais.

Também é possível perceber como as marcas já estão presentes no Metaverso, como é o caso do McDonald’s, um local de encontro para Bryan e Klay.

O youtuber Ryan Trahan. Imagem: YouTube/Reprodução

Cansaço depois do 50º dia

Inicialmente, o youtuber até estava se divertindo no mundo virtual, inclusive das coisas mais curiosas ou estranhas, como o fato de que as pessoas ficam o dia todo se vendo na frente de espelhos dentro do Metaverso.

Entretanto, a partir do 50ª dia, principalmente após Klay sumir de uma hora para a outra, a experiência começou a perder graça.

No vídeo, Ryan reconheceu que não estava mais se divertindo. Ele até fez uma festa para aumentar a sua popularidade e fazer novos amigos, mas, mesmo assim, sentia falta do amigo virtual.

Essa perda abrupta fez com que o youtuber começasse a refletir sobre o Metaverso, uma realidade virtual que ele acredita que será habitual no nosso dia a dia em breve.

“A única pessoa que eu conheci e que eu realmente gosto, eu nem sei como entrar em contato com ela. Eu nem sei como pedir ao Klay para voltar a existir”, desabafou.

Apesar da reviravolta no final, a experiência mexeu com a cabeça de Ryan.

Ele concluiu que o metaverso não é ruim, mas que, talvez, “precisemos passar mais tempo sendo nós mesmos”.

Bryan e Klay no Metaverso. Imagem: YouTube/Reprodução

Vídeo no Youtube

Em dezembro do ano passado, Ryan já havia publicado uma experiência parecida no YouTube, mas explorando o mundo do Minecraft VR.

Até o fechamento desta matéria, a aventura de 100 dias dentro do Metaverso já contava mais de 4,5 milhões visualizações. O vídeo pode ser visto abaixo: