Toda vez que usamos aqui no Giz a palavra “megas” ou “gigas”, sempre aparece um comentário insatisfeito. “Megas e gigas não existem!” “Perde a credibilidade!” “Uma coisa é falar, outra é escrever!” Mas escrever “gigas” não tem nada de errado. Certo?

O argumento usado para dizer que “gigas” está errado é que, no português, não se colocam certos prefixos no plural. A explicação está em toda parte, como neste artigo do MeioBit que crava: “as grandezas não têm plural, ou seja, mega, giga e tera só existem no singular, em nosso idioma”. Em outro lugar, temos este post repleto de comentários, que explica: “deve ser falado 20 MEGA, 10 GIGA, 90 TERA… e não 90 TERAS. Dessa forma, a pessoa estaria falando 90 TERASBYTES, ou seja, 2 S”.

Os argumentos não fazem muito sentido: afinal, quilo é prefixo de grandeza (no caso, de quilograma), e de acordo com o dicionário Houaiss falamos “quilos” desde o século XIX! E ninguém acha que você está falando “quilosgramas”… Além disso, Maria Helena de Moura Neves, doutora em Letras pela Universidade de São Paulo, escreve em seu livro Guia de uso do português: “diz-se, ainda, simplesmente giga (com plural gigas)”. O mesmo vale para “megas”.

Então, tecnicamente, não há nada de errado em dizer “gigas”. Mesmo assim, há quem não suporte ver esse plural. Ele lembra alguma propaganda tosca na TV anunciando um “computador com 320 megas em 24 vezes”. Ele é deselegante. Ele soa errado. Eu entendo: odeio quando escrevem “a Google” para indicar a empresa, por exemplo. Usar “Google” no feminino faz sentido? Sim, já que se trata da empresa: se for o site, dizemos “o Google”. Mas Google já se consagrou no português como palavra masculina – e a própria empresa Google no Brasil se auto-denomina O Google – então vê-lo no feminino soa estranho. Soa errado.

O que nos leva ao ponto principal: é o uso que define a língua. Para palavras relativamente novas, o certo e o errado dependem mais do uso real das pessoas que de regras pré-estabelecidas. De nada adiantam as considerações acima se a maioria das pessoas perceber “gigas” como algo estranho: se isso acontecer, “gigas” será errado e pronto.

Eu não vejo nada de errado em dizer “10 gigas”: é um número maior ou igual a 2, seguido de plural – o que há de errado nisso? Mas, ao que parece, ainda não chegamos a um consenso. Mesmo aqui na redação, já escrevemos dos dois jeitos, mas decidimos optar por esta maneira, digamos, mais plural. O que você acha, caro leitor: é “giga” ou “gigas”?

[Valeu, Romulo Schweitzer e Rodrigo Ghedin!]