por Felipe Ventura

Muita gente hoje em dia não passou pela era do LP, mas o vinil está voltando aos poucos graças a uma combinação de nostalgia e audiofilia. Por exemplo, no final do ano passado, o produto mais vendido da Amazon na categoria áudio foi um toca-discos com porta USB para converter as músicas em formato digital.

Na CES, duas grandes empresas estão apostando em toca-discos, cada uma à sua maneira.

Leia mais sobre a CES 2016:
>>> [Hands-on] Samsung Galaxy TabPro S: um tablet com tela AMOLED inspirado no Microsoft Surface
>>> [Hands-on] Relógio da Casio é duro na queda e roda Android Wear

A Sony entrou na área com o PS-HX500, que permite digitalizar seus discos conectando o dispositivo via USB a um computador. Ele tem um design para evitar saltos na reprodução e gravação, e um programa simples para Windows e Mac que permite editar as faixas.

toca discos ces (2)

Para digitalizar um vinil, basta abrir o programa, clicar em Gravar e tocar o disco. Quando você tiver terminado, clique em “Recording complete”.

Vale notar que o programa não separa as faixas automaticamente: ele apenas gera um grande arquivo de áudio que você precisa dividir de forma manual, selecionando no próprio programa o início e fim da música. Também não há nenhum tratamento contra ruídos ou estalidos.

toca discos ces (3)

A novidade é que você pode gerar arquivos em áudio de alta resolução (HRA), que promete qualidade maior que a de CD.

Há anos, vimos a Sony tentando fazer o HRA vingar, mas essa tecnologia sempre esteve envolvida em polêmica. Os arquivos de música são enormes, e só funcionam em determinados players caros – por exemplo, alguns dispositivos Walkman e no Pono Player.

O especialista em codecs de áudio Monty Montgomery recomenda usar bons fones de ouvido e arquivos FLAC em vez de pagar caro por áudio de alta resolução, e diz que o HRA “é uma solução para um problema que não existe, um modelo de negócios baseado em ignorância intencional e enganação das pessoas”.

Também é possível gerar arquivos em formato .WAV com áudio de CD, além do formato DSD de alta resolução. O programa embutido não gera arquivos em MP3.

O Sony PS-HX500 será lançado no segundo trimestre custando cerca de US$ 599.

toca discos ces (4)

Enquanto isso, temos a Technics, uma marca da Panasonic, trazendo duas versões de um toca-discos tradicional. Ele não converte LPs para formatos digitais; o foco aqui é outro.

O Technics Grand Class usa um sistema de acionamento direto entre o motor e o prato do toca-discos (em vez de uma correia de elastômero). Esse tipo de plataforma pode sofrer queda na qualidade devido a pequenas vibrações do motor.

toca discos ces (8) toca discos ces (9)

Por isso, a Panasonic usa um novo motor menos suscetível a vibrações, com um codificador na parte inferior que detecta o ângulo exato de rotação; mais sensores de alta precisão para contrabalancear possíveis trepidações ao tocar um disco.

Além disso, o braço da agulha usa um material leve (alumínio ou magnésio, dependendo do modelo) para aumentar seu efeito amortecedor. Tudo isso permite ouvir uma sofisticada Diana Krall com um som quente e nítido.

toca discos ces (7)

Há dois modelos do Grand Class: o SL-1200GAE será uma edição limitada de 1.200 unidades, disponível no terceiro trimestre; enquanto o SL-1200G terá lançamento comercial e chega no final do ano, ainda sem preço definido.

Veja mais lançamentos da CES 2016:

O Gizmodo Brasil viajou para Las Vegas a convite da Samsung.