A queda ladeira abaixo do Twitter rumo a uma plataforma em que o abuso prospera foi muito bem documentada ao longo dos anos, mas o assédio na rede social está mais uma vez nas manchetes nesta semana por causa da suspensão da conta de Rose McGowan depois de a atriz tweetar sobre abuso sexual em Hollywood. Em resposta, o CEO Jack Dorsey prometeu introduzir regras mais rigorosas contra assédio, e parece que algumas dessas regras vazaram para a Wired.

Dorsey prometeu novas regras cobrindo “avanços sexuais indesejados, nudez não consensual, símbolos de ódio, grupos violentos e tweets que glorificam a violência”, e aparentemente a maior parte desses itens é tratada em um email do chefe de políticas de segurança do Twitter.

O email, obtido pela Wired, mostra que o Twitter vai exigir revisões de conta mais profundas em resposta a certos tipos de denúncias de assédio. Usuários já reclamaram muitas vezes de que suas denúncias de comportamento abusivo são dispensadas muito facilmente. Para melhorar isso, o email diz que, em casos em que um usuário posta nudez não consensual, a empresa irá conduzir “uma revisão de conta completa”. Se a conta for dedicada a postar nudez não consensual, ela será suspensa imediatamente.

Parece que o Twitter costumava exigir um relatório de alguém retratado em uma imagem não consensual antes de remover o conteúdo, mas isso também está mudando, segundo o email. A definição do site para nudez não consensual será expandida para incluir “imagens de debaixo de saias, fotos ‘esquisitas’ e conteúdos de câmera escondida”, e o Twitter vai se tornar menos tolerante com pornografia que imite esses tipos de imagem.

“Embora reconheçamos que exista todo um gênero de pornografia dedicado a esse tipo de conteúdo, é praticamente impossível para nós distinguir quando esse conteúdo pode ou não pode ter sido produzido e distribuído consensualmente. Preferimos errar para o lado de proteger as vítimas e remover esse tipo de conteúdo assim que sabemos dele”, diz o email.

Os detalhes do novo plano do Twitter para administrar conteúdos violentos são um pouco mais frágeis. A empresa diz que vai agir contra “grupos violentos” na plataforma e contra conteúdo que glorifique a violência — por exemplo, um tweet que diga que “assassinato faz sentido. Dessa forma, eles não vão drenar serviços sociais” agora se encaixaria no crivo do Twitter de conteúdo inapropriado.

Entretanto, o email aponta que essas políticas ainda estão sendo desenvolvidas e não diz que esse tipo de conteúdo sera removido diretamente da plataforma. É possível que conteúdos violentos sejam combatidos com outro tipo de ação, como suspensão temporária. Em casos que envolvam “símbolos e imagens de ódio”, o Twitter vai simplesmente esconder o conteúdo por trás de um banner que o sinalize como mídia sensível, exigindo que o usuário clique para poder ver.

“Percebemos que uma política e uma abordagem de administração mais agressivas vão resultar na maior remoção de conteúdos de nosso serviço. Estamos confortáveis ao tomar essa decisão, presumindo que apenas removeremos conteúdo abusivo que viole nossas regras”, afirma o email.

“Embora planejássemos compartilhar essas atualizações mais tarde na semana, esperamos que nossa abordagem e mudanças a vir, assim como nossa colaboração com o [nosso] Conselho de Confiança e Segurança, mostrem o quão seriamente estamos repensando nossas regras e o quão rapidamente estamos nos movimentando para atualizar nossas políticas e como as aplicamos”, disse o Twitter em um comunicado.

[Wired]

Imagem do topo: AP