Já existem carros com faróis inteligentes, que podem iluminar a esquerda ou a direita para melhorar a visibilidade em curvas. Mas a Opel e a Vauxhall, subsidiárias europeias da GM, estão desenvolvendo a próxima geração de sistemas de lanternas, que podem acompanhar para onde um motorista está olhando e automaticamente redirecionar as luzes naquela direção.

Usando uma única câmera acompanhada por sensores infra-vermelhos periféricos, o sistema, que foi desenvolvido e aperfeiçoado ao longo dos últimos dois anos, pode digitalizar características faciais e oculares de um motorista mais de 50 vezes por segundo, para determinar exatamente para onde ele está olhando. O sistema é projetado para trabalhar em más condições de iluminação, mesmo nos fins de tarde e à noite, quando os faróis de um veículo são mais importantes para uma condução segura. Isso, juntamente com o processamento de dados mais rápido e melhores ativadores para deslocar os faróis, significa que o caminho da luz pode ser instantaneamente redirecionado para estar em sintonia com o olhar do motorista.

gq3pqbuhaw4dwuj42noa

Mas o olho humano é uma ferramenta eficaz que pode correr de um objeto a outro com velocidade frenética. Se os faróis de um carro seguirem perfeitamente o olhar, o carro seria uma show de luzes erráticas para os outros nas ruas e estradas. Por isso, a GM também está desenvolvendo algoritmos inteligentes para monitorar não só quando um motorista está olhando, mas quão atento ele está ao que está enxergando.

Portanto, se um motorista apenas olhar rapidamente para um sinal que passa, os faróis não vão reagir e desviar para longe da estrada. Mas se quem está dirigindo ficar olhando atentamente para alguma coisa que esteja ao lado da estrada, um cone de luz irá fluir suavemente para a direita, ou para a esquerda, para cima, ou para baixo, para ajudar a iluminar o perigo ou obstáculo à frente.

Não há informações sobre quando a nova tecnologia estará disponível nos carros da Opel/Vauxhall, mas ela possivelmente será introduzida nos próximos 18 meses, preparando o terreno que vai tornar viável a funcionalidade de rastreamento ocular. [GM via Gizmag]