As agências de banco são conhecidas por filas enormes, poucos gerentes e atendimento lento. É possível evitá-las em alguns casos graças à internet, e agora não será mais obrigatório visitá-las para abrir e fechar contas.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) liberou a abertura e fechamento de contas correntes para pessoas físicas através da internet, sem a necessidade de comparecer a uma agência bancária.

Isso não quer dizer que os bancos devem abrir e fechar contas online, e sim que eles podem – mas algumas instituições já estão bem interessadas nisso.

O Banco do Brasil vem preparando mudanças para se tornar mais digital, como assinar contratos ou mandar recados para o gerente via smartphone – e isso inclui abrir contas também. Em nota ao Estadão, eles dizem: “ainda no primeiro semestre, quem quiser abrir uma conta no Banco do Brasil poderá fazê-la utilizando um smartphone”.

Enquanto isso, o Santander afirma ao Globo que a abertura de conta digital está “dentro do conjunto de iniciativas de transformação digital do banco”.

Itaú, Bradesco e Caixa também se manifestaram a favor da medida, mas sem prometer prazo nem implementação por enquanto. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) diz que as instituições financeiras vão aguardar até que a decisão do CMN seja regulamentada para “estabelecer os procedimentos e controles”.

O CMN não especifica quais serão esses mecanismos de controle, mas o Banco Central lista diversas opções: reconhecimento facial, reconhecimento de voz, ou certificado digital. Silvia Marques, chefe do Departamento de Normas do BC, diz ao G1 que essas medidas podem dificultar fraudes – até mais do que o procedimento tradicional de abrir conta em agência.

O Banco Original – que tem um processo digital para abertura de conta – dá uma ideia do que esperar. Ao fazer o cadastro, o app usa a câmera frontal para reconhecimento facial: você move a cabeça para cima, para baixo e para os lados.

banco original reconhecimento facial

O processo é digital, mas tem que atender a diversas exigências do Banco Central. Por isso, você precisará informar sua ocupação, nome do pai e mãe, data e local de nascimento, valor em investimentos/imóveis, se há pessoas politicamente expostas na sua família, e assim vai – são várias etapas.

Isso não é tudo. É preciso tirar foto do RG, do comprovante de endereço e do comprovante de renda. Você assina a proposta de abertura de conta escrevendo com o próprio dedo.

No entanto, para finalizar meu cadastro, o Banco Original enviou um funcionário até minha casa, para coletar minha assinatura (de novo) e minhas digitais. Ou seja, o processo “totalmente digital” nem sempre funciona, e talvez exija uma visita à agência no caso de bancos convencionais.

Isto pode ser preocupante: o banco poderia obrigar você a finalizar o cadastro numa agência e, de quebra, empurrar alguns serviços extras como seguro ou cartão de crédito. Ainda é cedo para julgar, no entanto – resta ver como os bancos vão implementar este método digital.

[G1 – O GloboEstadão]

Foto por Steve Buissinne/pixabay