A espaçonave OSIRIS-REx da NASA parece estar vazando pequenos pedaços de Bennu, após uma tentativa bem-sucedida de coletar amostras da superfície do asteroide. Os engenheiros culpam uma tampa emperrada, o que a NASA está chamando de um problema pequeno.

A NASA decidiu armazenar o material da amostra reunida em 27 de outubro, em vez da data prevista para 2 novembro. O armazenamento antecipado está sendo feito para “proteger e retornar o máximo de amostra possível”.

O-REx, como os membros da equipe da NASA gostam de chamá-lo, fez um breve contato com a superfície de Bennu na terça-feira, 20 de outubro, marcando a primeira tentativa da agência espacial de coletar material de superfície de um asteroide. Imagens surpreendentes enviadas de volta à Terra indicaram sucesso, com a NASA confirmando na última sexta-feira que a sonda coletou “mais do que material suficiente”, excedendo a meta mínima da equipe de pelo menos 60 gramas de material da superfície.

Na verdade, foi um momento perfeito, com a cabeça do Mecanismo de Aquisição de Amostra Touch-and-Go (TAGSAM) aparecendo rente à superfície enquanto afundava levemente no regolito macio. O momento foi perfeito, pois uma explosão de nitrogênio chutou o material da superfície, envolvendo a cabeça da amostra em uma nuvem de detritos.

Alguns dias depois, entretanto, a NASA notou fragmentos escapando da cabeça de coleta de amostras. A equipe está atribuindo isso a uma tampa de mylar (um tipo de poliéster) que não fecha devido ao tamanho das pedras.

“Estamos trabalhando para manter nosso próprio sucesso aqui, e meu trabalho é devolver com segurança a maior amostra possível de Bennu”, explicou o investigador principal da OSIRIS-REx, Dante Lauretta, em um comunicado da NASA. “A perda de massa é uma preocupação para mim, por isso estou incentivando fortemente a equipe a armazenar esta amostra preciosa o mais rápido possível”.

Nem tudo está perdido, pois a equipe simplesmente precisa armazenar os destroços coletados na cápsula de retorno de amostra da espaçonave antes que muito dele vaze. Nesse ínterim, a equipe, liderada por pesquisadores da Universidade do Arizona, não quer que O-REx faça nenhum movimento supérfluo, razão pela qual cancelaram a atividade de medição de massa de amostra no sábado passado e também uma queima de frenagem que deveria acontecer na sexta-feira, para minimizar a aceleração da nave.

Chamando isso de uma “bola curva”, Thomas Zurbuchen, administrador associado de ciências na sede da NASA em Washington, disse em um comunicado, “podemos ter que nos mover mais rapidamente para armazenar a amostra”, mas “não é um problema tão grave”. Ele está “animado para ver o que parece ser uma amostra abundante que inspirará a ciência por décadas além deste momento histórico”.

A equipe está finalizando um plano de armazenamento, incluindo um cronograma de quando isso pode acontecer. Uma atualização é esperada em breve. Devemos saber também se a equipe quer que o OSIRIS-REx faça outra tentativa de coleta de amostra, o que não parecia necessário antes, mas agora, com a carga vazando, quem sabe. Assumindo que tudo está bem e que o material pode ser armazenado na Sample Return Capsule, a espaçonave partirá de Bennu em março de 2021, quando a Terra e o asteroide estiverem em um alinhamento favorável.