A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) tem uma reunião agendada para hoje (dia 2) onde vai estudar o adiamento da instalação da nova rede 5G nas capitais brasileiras em dois meses.

Problemas no fornecimento de equipamentos devem mudar o prazo, inicialmente previsto para 31 de julho.

A sugestão de adiamento veio do Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência (Gaispi). Estão levando em consideração os problemas com os equipamentos necessários para a limpeza da faixa 3,5 GHz. O lockdown na China, a escassez de semicondutores e a demora no desembaraço aduaneiro também são alguns dos motivos alegados.

Essa possibilidade de alteração está prevista no edital, mas a Anatel deve se pronunciar sobre a necessidade somente após a reunião desta quinta-feira.

Caso seja aprovado o adiamento, as operadoras terão até 29 de agosto para a implantação e 29 de setembro para que a tecnologia esteja funcionando.

Até o momento, somente o Distrito Federal e dez capitais do país estão preparadas para o 5G. Apenas Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Vitória (ES) estão aptas a receber a tecnologia.

Leia mais sobre o 5G no país: “5 dúvidas sobre o 5G no Brasil”.