Depois de mais de um ano desde a liberação do código-fonte, que ocorreu em novembro de 2011, o Ice Cream Sandwich finalmente está em mais de um quarto do total de dispositivos, mas ainda está longe de ser o Android mais usado.

O Gingerbread, lançado em 2010, está em mais da metade dos dispositivos – 50,8%, exatamente. O ICS é o segundo mais usado com 27,5% e o Froyo (2.2) ainda é usado por 10,3% dos aparelhos. O Jelly Bean, que saiu em julho e recebeu atualização em outubro, está em 6,7% (sendo 5,9% dos aparelhos com o 4.1 e apenas 0,8% com o 4.2).

A adoção do Ice Cream Sandwich está sendo muito mais lenta do que em outras versões do Android. O 2.2 levou 6 meses para atingir metade dos aparelhos, e o Gingerbread demorou 11 meses para isso. E, em 12 meses, o 4.0 está em apenas um quarto dos aparelhos. O Jelly Bean, a versão mais recente, ainda não chegou nem a 10% dos aparelhos e é menos usado do que o Froyo, lançado em maio de 2010.

A fragmentação do Android é um dos grandes desafios para a plataforma e o Google parece ainda não ter encontrado uma forma de solucionar isso. Para piorar, os usuários dependem muitas vezes de operadoras e fabricantes para atualizar o dispositivo. Por aqui temos o exemplo da Samsung, que atualizou em novembro o Galaxy X e o Galaxy S III brasileiros para o 4.1 – sistema lançado em junho – e não tem previsão para fazer o upgrade para o 4.2. [Android.com via The Next Web]