O iPhone 13 ainda nem foi anunciado, mas os rumores sobre seu sucessor já estão a todo o vapor. E entre uma novidade e outra, a linha iPhone 14 (por enquanto, vamos chamá-la assim) promete trazer uma mudança drástica em sua composição: a versão mais cara, possivelmente o iPhone 14 Pro Max, deverá ser o primeiro smartphone da Apple feito de liga de titânio.

A notícia vem de analistas do JP Morgan Chase. Ainda não se sabe se o uso do material acarretaria em um design completamente inédito para o iPhone. No entanto, só a presença da liga de titânio no chassi do dispositivo deve dar uma cara ainda mais premium ao produto — além de torná-lo ainda mais caro. Por outro lado, o titânio é um material mais resistente e leve.

De acordo com o MacRumors, a Apple tem dois pedidos de patentes que reforçam o rumor. O primeiro envolve uma maneira de dar ao titânio um acabamento mais brilhante. Enquanto isso, a segunda patente detalha um “revestimento de óxido” para reduzir as impressões digitais. Como é possível notar, ambos os documentos abordam a fraqueza do titânio quando se trata de eletrônicos de consumo. E mesmo que um produto tenha essas características, é muito difícil que o material seja à prova de marcas de dedos e outras manchas.

Esta não seria a primeira vez que a Apple usaria titânio. A empresa tem um histórico de utilizar o material em alguns produtos, mas somente em casos muito específicos. De 2001 a 2006, lançou os PowerBooks G4 Titanium. Depois, só anunciou um gadget feito de titânio em 2019 com o Apple Watch Edition (Series 5). O Apple Card, cartão de crédito disponível apenas nos Estados Unidos, é outro produto da Apple fabricado em titânio.

Mais sobre o iPhone 14

O rumor do JP Morgan Chase também ecoa alguns dos outros boatos envolvendo o iPhone 14. Para o ano que vem, a Apple deve encerrar de vez o iPhone mini. Em seu lugar, a companhia vai lançar duas versões do iPhone 14 com tela de 6,1 polegadas, e outras duas com display de 6,7 polegadas. Além disso, os analistas sugerem que as mudanças previstas para o iPhone 13 neste ano não serão tão impactantes quanto as que a Apple tem reservado para o iPhone 14.

Por fim, os analistas do JP Morgan Chase afirmam que a Apple trata os vindouros iPhones de 2022 como um “superciclo” — um ano em que os aparelhos ganham uma quantidade significativa de novidades em comparação com modelos anteriores. Por consequência, mais pessoas estariam dispostas a atualizar seus smartphones.

Assine a newsletter do Gizmodo

Como sempre, os rumores nem sempre se mostram verdadeiros. E ainda falta muito tempo até que o iPhone 14 comece a ser produzido em larga escala. Até lá, vamos nos concentrar no iPhone 13, que deve ser anunciado oficialmente entre setembro e outubro.