Antes mesmo de divulgar os resultados financeiros do quarto trimestre de 2018, a Apple já avisava que um dos motivos para a queda era a China. Como a empresa parou de divulgar dados de vendas, não sabíamos com precisão o tamanho do tombo. Agora temos uma noção: segundo a consultoria IDC, o número de iPhones vendidos no gigante asiático caiu 19,9% na comparação com o mesmo período no ano anterior.

Os números de vendas parecem alinhados com os dados de receitas divulgados pela empresa. Segundo o relatório financeiro, as receitas vindas da chamada Grande China caíram de US$ 18 bilhões, no quarto trimestre de 2017, para US$ 13,2 bilhões, no mesmo período de 2018. Vale lembrar que este número inclui as vendas de todos os produtos e de outros serviços da empresa.

O relatório da IDC aponta o aumento dos preços e as pequenas inovações incrementais como motivos para a queda nas vendas no país. Há, porém, outro fator a ser considerado: o crescimento da chinesa Huawei. Os números de vendas de aparelhos dela no país cresceram 23,3%.

Segundo o Engadget, porém, a Huawei foi um ponto fora da curva, já que outras marcas chinesas, como Xiaomi e Oppo/Vivo, também tiveram quedas nas vendas de smartphones. A publicação relaciona estes números às condições macroeconômicas da China.

A Reuters ainda lembra que não é só na China que a Apple vem perdendo terreno. Segundo dados da consultoria Counterpoint, de Hong Kong, as vendas de iPhones na Índia — outro importante mercado emergente para a marca — caíram 25% no quarto trimestre de 2018 em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A empresa continua com um lucro considerável — quase US$ 20 bilhões no quarto trimestre de 2018, uma queda bem pequena quando comparado ao mesmo período do ano anterior —  mas, com competidores crescendo tanto e preços pouco competitivos, parece que a vida da Apple não está tão fácil como era antes.

[Reuters, Engadget]