Uma escavação liderada pela Universidade de Varsóvia, na Polônia, em parceria com o Ministério do Patrimônio e Turismo de Omã, na Península Arábica, revelou o que parece ser um jogo de tabuleiro de 4 mil anos. O artefato estava em um assentamento pré-histórico no vale do Qumayrah, em Omã. 

De acordo com os pesquisadores, o bloco de pedra esculpido era semelhante a jogos já encontrados em “áreas que se estendem desde a Índia, passando pela Mesopotâmia até o Mediterrâneo oriental”. Um destes é o Jogo Real de Ur, desenterrado na cidade mesopotâmica de mesmo nome em 1922. Esse tabuleiro, que data de cerca de 4,5 mil anos atrás, era semelhante ao gamão.

O novo tabuleiro de pedra foi apenas uma das várias revelações feitas no sítio arqueológico de Omã. Os pesquisadores acreditam que o assentamento explorado data do período de Umm-an-Nar, uma cultura da Idade do Bronze que existiu entre 2.600 e 2.000 a.C. 

No local, os exploradores encontraram restos de quatro torres, sendo três redondas e uma angular. A maior e mais expressiva delas parece ter 20 metros de diâmetro. Além das construções, os arqueólogos também encontraram evidências de que o cobre era fundido no local durante a Idade do Bronze, além de objetos feitos do material.

“Isso mostra que nosso assentamento participou do lucrativo comércio de cobre pelo qual Omã era famoso na época”, explicou em comunicado Piotr Bieliński, um dos autores do estudo.

Ao que parece, o vale de Qumayrah rendeu várias descobertas arqueológicas por estar em uma importante rota comercial entre cidades árabes. Os arqueólogos planejam continuar escavando áreas próximas ao assentamento durante este ano. Basta esperar para ver o que mais será revelado.