No próximo sábado (11), um asteroide maior que a Torre Eiffel passará consideravelmente próximo da Terra. É o 4660 Nereus, classificado como “potencialmente perigoso” pela NASA. 

Calma, estamos trabalhando aqui com níveis astronômicos. Qualquer objeto com mais de 140 metros de comprimento e que esteja a uma distância inferior a 7,5 milhões de quilômetros da Terra já ativa o alerta dos cientistas, mas não necessariamente representa perigo.

[foo_related_posts] 

O 4660 Nereus tem 330 metros de diâmetro e passará a uma distância de 3 milhões de quilômetros. Para ter uma noção, isso é quase 10 vezes a distância entre a Terra e a Lua, o que significa que o pedregulho gigante não fará nem cócegas por aqui.

O tal asteroide já é um velho conhecido nosso. Ele foi identificado pela primeira vez em 1982, e graças a sua órbita de 663 dias, fica próximo da Terra a cada 10 anos mais ou menos. Sua última passagem por aqui foi em 22 de março de 2011, e a próxima visita está prevista para março de 2031. 

A aproximação no dia 11 de dezembro será a maior em décadas. Depois disso, podemos aguardá-lo para um encontro ainda mais íntimo em 14 de fevereiro de 2060, data em que ele passará a uma distância aproximada de 1,2 milhão de quilômetros. Isso equivale a três vezes a distância entre a Terra e a Lua.

Não vai ser dessa vez, mas e se acontecer de um asteroide entrar em rota de colisão com a Terra? Bom, a NASA já está trabalhando para evitar qualquer problema. Em novembro, a agência lançou um foguete para colidir com um asteroide durante um teste de defesa planetária. O foco da missão DART, como foi batizada, é um pequeno satélite natural chamado Dimorphos, que deve ser atingido entre setembro e outubro de 2022.