Os usuários do Facebook que querem uma segurança extra em suas contas, mas não querem compartilhar seu número de telefone com a empresa agora podem usar métodos de autenticação de dois fatores alternativos, como apps de geração de códigos, segundo anunciou a companhia nesta quarta-feira (23).

• Inteligência artificial do Facebook consegue transformar música clássica em jazz
• Mark Zuckerberg fez o Parlamento Europeu de bobo, e eles estão putos

A autenticação de dois fatores ajuda a proteger as conta dos usuários de acessos não autorizados ao exigir um código adicional, além da senha, para poder fazer o login. Isso ajuda um usuário a comprovar sua identidade, mesmo em circunstâncias em que sua senha possa ter sido roubada por um hacker.

O Facebook — e muitas outras plataformas — tradicionalmente sempre contaram com mensagens de texto para enviar códigos de autenticação a seus usuários. Mas esses códigos podem ser interceptados se um invasor consegue assumir controle do chip de telefonia do usuário e transferi-lo para um novo celular. Métodos de autenticação de dois fatores mais seguros, como apps de geração de códigos e tokens de hardware, se tornaram maneiras populares de resolver esse problema.

Em fevereiro, o Facebook enfrentou críticas de usuários que descobriram que o número de telefone que eles haviam fornecido para a autenticação de dois fatores estava sendo usado para enviar spam com notificações em mensagens de texto sobre as atividades de seus amigos na rede social.

O Facebook disse que as notificações por mensagens de texto haviam sido causadas por um bug acidental. “A última coisa que queremos é que as pessoas evitem recursos de segurança úteis porque temem que irão receber notificações não relacionadas”, disse o diretor de segurança do Facebook, Alex Stamos, em um blog post.

Os usuários se ressentiam de ter uma ferramenta de segurança transformada em um recurso irritante de engajamento, mas, à época, o Facebook exigia que os usuários que não quisessem fornecer um número para a autenticação de dois fatores usassem tanto um app de geração de códigos quanto um token de hardware.

Agora, isso está mudando, segundo a empresa. O Facebook não vai mais exigir um número de telefone para a autenticação de dois fatores, e os usuários poderão escolher ou um app ou um token de hardware para o segundo fator, em vez de ter que usar ambos.

“Se detectarmos um login suspeito — por exemplo, de um dispositivo que você nunca usou antes —, sempre pediremos o segundo fator. Esse código pode ser enviado para o seu celular por SMS ou, se você escolher não fornecer um número, por meio de um app de autenticação”, disse o Facebook em seu blog.

Imagem do topo: Facebook