Novos benchmarks vazaram, e eles supostamente mostram o kit de transição para desenvolvedores da Apple rodando o Geekbench 5 Pro nativamente no Mac mini. Isso significa que, diferentemente dos benchmarks vazados anteriormente, que mostravam o Geekbench 5 sendo executado virtualmente via Rosetta 2, alguém pode ter encontrado uma maneira de executar o programa no próprio kit. Mas, assim como ocorreu com os últimos supostos benchmarks, também é melhor ficar esperto com algumas coisas.

As capturas de tela dos supostos novos resultados obtidas pelo 9to5Mac mostram uma pontuação de núcleo único de 1.098 e uma pontuação de núcleo múltiplo de 4.555. Resultados anteriores mostraram 844 para núcleo único e 2.958 para núcleo múltiplo.



À primeira vista, a disparidade pode ser explicada pela diferença de como o Geekbench está sendo executado. Rodar qualquer aplicativo de forma nativa produzirá resultados mais rápidos, pois ele pode ser executado diretamente no hardware sem precisar ser traduzido por outro programa primeiro.

No entanto, se você observar as outras informações fornecidas nas capturas de tela, verá que o processador listado é um Apple A12Z Bionic a 2,49 GHz. OK, isso faz sentido porque o kit para desenvolvedor também tem um processador ARM A12Z Bionic, mas essas pontuações estão mais próximas dos números do iPad Pro de segunda geração de 11 polegadas, que também usa o A12Z Bionic nesta mesma velocidade.

O processador testado desta vez está usando oito núcleos e não quatro, como o do benchmark anterior. Além disso, o chip do primeiro teste tinha uma frequência de clock menor, de 2,4 GHz.

Além disso, o modelo do dispositivo que está sendo testado nos supostos novos benchmarks vazados é um iPad Pro de 11 polegadas de 2ª geração, que também confirma que o teste está sendo executado em oito núcleos.

Portanto, parece que esses benchmarks não são do kit para desenvolvedores e sim de um iPad Pro. Outra olhada nos resultados mais recentes do iPad Pro no Geekbench 5 parece confirmar isso. E como o Gizmodo observou anteriormente, parece que os kits para desenvolvedores estão usando só quatro núcleos, apesar dos rumores de que os processadores ARM da Apple terão 12 em sua versão final.

De acordo com o 9to5Mac, quem foi capaz de executar o Geekbench 5 Pro de forma nativa no kit para desenvolvedores Mac mini supostamente fez isso “inicializando em modo de recuperação, desativando recursos de segurança e mudando a assinatura de aplicativos”, o que significa que essa pessoa foi capaz de enganar o sistema operacional do Mac para ele pensar que o Geekbench 5 Pro não foi alterado ou corrompido desde que foi assinado digitalmente pelo programador original.

No entanto, não sei exatamente por que eles precisariam fazer isso, pois o Geekbench 5 Pro pode ser executado no iOS e está disponível na App Store.

Isso também não explica o fato de quatro núcleos extras terem aparecido do nada, de acordo com os resultados do benchmark. No entanto, existe uma maneira de desativar o número de núcleos que um programa usa para executar no nível do sistema operacional, seja na BIOS, nas configurações do SO ou na execução de um programa de terceiros.

É provável que os kits de transição para desenvolvedores tenham sido fornecidos com o XCode. Com ele, você pode limitar o número de núcleos que o computador usa para executar programas. Como a Apple criou esse kit de transição apenas para ajudar os desenvolvedores a adaptarem seus aplicativos para a arquitetura ARM, é possível que eles tenham vindo com quatro dos oito núcleos desativados.

Agora, eu não faço ideia de por que este seria o caso. Mas isso também significaria que os kits de transição estão sendo usando os processadores A12Z Bionic ARM do iPad – o que significa que todos esses benchmarks “vazados” não passam de pontuações para um processador que já existe há algum tempo.

Há rumores de que os processadores Apple ARM reais que farão sua estreia no final deste ano tenham um total de 12 núcleos, oito dos quais dedicados a tarefas de alto desempenho.

Só espero que o desempenho seja melhor do que o que estamos vendo no A12Z Bionic do iPad no momento. Basta dar uma olhada no iMac do início de 2019 com um Intel i5-8600, de duas gerações atrás. Ele consegue uma pontuação de núcleo único de 1.155 e uma pontuação de múltiplos núcleos de 5.407, muito maiores que as do A12Z Bionic.