Desenvolvedores já devem ter começado a receber seus kits de transição para os novos chips da Apple com arquitetura ARM, e agora alguns números de benchmark desses aparelhos também começaram a pipocar por aí. Mesmo com cláusulas rígidas de confidencialidade, parece que o aparelho foi testado e teve seus resultados compartilhados no Geekbench, de acordo com informações do 9to5Mac.

Muita gente está de olho para procurar qualquer benchmark da nova CPU A12Z Bionic feita para o macOS. Em sua apresentação na WWDC, a Apple não mostrou o desempenho do chip de uma maneira tangível. A maioria das estimativas foi baseada no A12Z Bionic da versão mais recente do iPad Pro. Rumores sugerem que os chips não são idênticos, mas, infelizmente, a Apple também não entrou em detalhes sobre diferenças estruturais entre as CPUs.

Existem algumas ressalvas para esses novos números disponíveis no Geekbench. Parece que os kits de desenvolvimento estão rodando apenas em quatro núcleos — os rumores dizem que a CPU terá 12 quando for lançada. Eu suponho que esses quatro núcleos sejam os dedicados ao desempenho — novamente, informações preliminares dizem que oito dos 12 núcleos serão dedicados à performance.

Se for verdade, isso poderia explicar parcialmente por que as pontuações do kit de desenvolvimento são menores que as do A12Z do iPad: o Geekbench está considerando os quatro núcleos de eficiência do processador do iPad, mas o kit de desenvolvedores da Apple não possui esses núcleos.

A pontuação máxima para o novo chip da Apple no momento da redação deste artigo é 844 para núcleo único e 2958 para múltiplos núcleos. Um iPad Pro de quarta geração, por outro lado, obteve 1118 e 4726, respectivamente. O iPad A12Z também está funcionando com uma frequência mais alta, 2490 MHz, em comparação com os 2400 MHz dos kits para desenvolvedores.

O 9to5Mac diz que os kits estão executando o Geekbench 5 de forma não nativa usando o Rosetta 2. Isso poderia explicar o nome ‘VirtualApple’ listado na seção Informações do processador. Mesmo assim, é estranho que o Geekbench 5 esteja executando via Rosetta 2, já que existe uma versão ARM para o iPad. No entanto, o iPad executa o iOS. Por isso, é possível que o Geekbench 5 ainda precise executar o Rosetta 2 porque ainda não existe uma versão dele para macOS ARM.

Além do iPad, o mais próximo que temos para comparar com os supostos kits para desenvolvedores atualmente são os chips da Intel, especificamente um Intel Core i5-1038NG7 (4 núcleos, 2000 MHz) do MacBook Pro do meio de 2020.

De acordo com o Geekbench 5, uma das mais altas pontuações de núcleo único é 1244; em núcleos múltiplos, esse número chega a 4526. Esse processador da Intel está rodando a 400 MHz a menos por núcleo do que os kits Apple ARM e ambos têm o mesmo número de núcleos, mas seu desempenho é bem melhor.

Novamente, isso pode ocorrer porque o Geekbench 5 não está otimizado para o chip da Apple no macOS. Ou pode ser por causa da diferença na maneira como os processadores Apple ARM e Intel executam instruções.

Os futuros processadores ARM da Apple devem ser versões mais potentes do A12Z. Acredita-se que eles terão 12 núcleos, sendo oito deles dedicados ao desempenho, o que definitivamente ajudará a competir com a Intel e a AMD. A julgar por esses números, esses núcleos adicionais serão necessários.

Os primeiros Macs com ARM devem aparecer até o final deste ano, mas a Apple ainda lançará novos modelos Intel mesmo após o início da transição, e seus dispositivos Intel deverão ter suporte por pelo menos cinco anos a partir de agora. Portanto, se você está pensando em adquirir um Mac, talvez seja inteligente fazer isso agora.